Peemedebista, conflitos tendem a diminuir após fim do recesso parlamentar

Agência Estado
O ministro da Previdência, Garibaldi Alves
O ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho, afirmou hoje que o relacionamento entre PT e PMDB, do qual é filiado, “não tem sido muito fácil”. “Mas não acredito que a situação vá se agravar”, disse o ministro. Para Garibaldi, os conflitos tendem a se reduzir quando terminar o recesso dos parlamentares, em fevereiro. “Com a volta do Legislativo, a maioria ( do governo ) vai se consolidar”.

Nos últimos dias, o Palácio do Planalto chegou a interromper a nomeação de servidores para o segundo escalão do governo, por ter dificuldades nas tratativas com o PMDB.

Hoje, na posse do presidente do INSS, Mauro Hauschild, Garibaldi afirmou que a nomeação não foi discutida com o PT. “Da mesma forma como outras indicações não foram discutidas com o PMDB.” Para Garibaldi, porém, têm sido frequentes, no segundo escalão do governo, as indicações de caráter técnico.

Antes de tomar posse no INSS, Hauschild era chefe de gabinete do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. Assim como Toffoli, Hauschild fez parte da Advocacia Geral da União (AGU).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.