Recusa de Blairo faz aumentar lista de ministeriáveis do PR

Luciano Castro (RR), Eduardo Giroto (MS) e os mineiros Jaime Martins e Lincoln Portela surgem como opções contra ministro interino

Adriano Ceolin, iG Brasília, e Denise Motta, iG Minas |

AE
Deputado de Roraima é opção para Transportes
A recusa do senador Blairo Maggi (MT ) fez aumentar o número de candidatos do PR para o comando do Ministério dos Transportes. O principal objetivo de líderes do partido é evitar a consolidação do ministro interino, Paulo Sérgio Passos, como titular na vaga. Ele é o preferido da presidenta Dilma Rousseff .

“Com a recusa do Blairo, ficou um vazio muito grande. Ele era o nome perfeito. Agora tem gente que fala no meu nome, em Lincoln Portela ( MG ), em Eduardo Giroto ( MS ) e outros”, diz o deputado Luciano Castro (PR-RR), que já foi líder do partido na Câmara.

Castro, porém, reconhece que Dilma tentará manter Paulo Passos, que foi secretário-executivo do ministério e já comandou a pasta durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva . “Acho que a presidenta quer que ele fique. É uma pessoa experiente e preparada. Mas, na atual circunstância, é preciso um nome que una o partido. Precisar ter função administrativa e política”, diz. “Mas é a Dilma que decide”, completa.

Cotado, Lincoln Portela se esquiva de comentar a sua indicação: “Quem comanda é a Dilma e não há pressão nenhuma. Vamos chegar a uma solução de consenso”, disse o líder do PR na Câmara.

Blairo ainda não comunicou o Palácio do Planalto de que não aceita ir para o Transportes. Ele foi convidado no mesmo dia em que Alfredo Nascimento (PR-AM) foi demitido. Além dele, Portela também participa das negociações com Dilma, assim como o líder do PR no Senado, Magno Malta.

Além de Portela, outro mineiro estaria na lista de possíveis nomes para a pasta, o deputado Jaime Martins. Engenheiro e advogado, ele possui um perfil bem mais técnico e relacionado à pasta. Martins cumpre o quinto mandato de deputado federal.

Engenheiro e advogado, ele possui pós-graduação em Economia e Finanças nas áreas públicas e privadas e é presidente da Frente Parlamentar Rodoviária. "O nome dele é forte na bancada mineira. Acredito que ele tem mais chances do que o Lincoln Portela", afirmou um deputado federal petista.

Martins, no entanto, foi investigado em 2008 pela Polícia Federal dentro da Operação João de Barro, por suposto envolvimento em esquema de desvio de verbas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O nome dele consta em lista de denunciados no esquema, em 2010, pelo Ministério Público Federal (MPF). Martins não foi encontrado pela reportagem.

    Leia tudo sobre: MinistrosPRTransportes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG