Ré no caso sanguessugas pede demissão da equipe de transição

Pedido foi aceito e será publicado amanhã (12) no Diário Oficial

Adriano Ceolin, iG Brasília |

A equipe de transição para o governo Dilma Rousseff teve a sua primeira baixa nesta quinta-feira. A advogada Christiane Araújo de Oliveira pediu exoneração do cargo para o qual havia sido recém-nomeada com salário de R$ 2.600. Ela deixa o grupo após a revelação de que sofre duas ações de improbidade pela Justiça de Alagoas por conta do seu envolvimento na máfia dos sanguessugas. Christiane alega inocência.

O pedido de exoneração será publicado na edição do Diário Oficial da União desta sexta-feira. Christiane foi denunciada pelo Ministério Público de Alagoas em 2008. Em entrevista ao jornal “O Globo”, a advogada disse que “não há sentença” contra ela. Christiane envolveu-se no escândalo dos sanguessugas quando era funcionária do gabinete do deputado João Caldas, que atualmente é filiado ao PSDB.

O caso foi revelado em 2006 após uma investigação da Polícia Federal que identificou um esquema de fraudes e desvios de recursos do ministério da Saúde para a compra de ambulâncias superfaturadas. Os parlamentares direcionavam emendas para recebimento de propina. Na oportunidade, foram presas 42 pessoas. Entre elas, empresários, servidores da Câmara e do Ministério da Saúde e ex-deputados.

Segundo a assessoria de imprensa da equipe de transição, Christiane telefonou para pedir sua exoneração ainda pela manhã desta quinta-feira. Até agora 25 nomes foram confirmados do grupo de Dilma. Segundo a assessoria, cada nome foi submetido a análises da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

    Leia tudo sobre: dilma roussefftransição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG