Radicalização em torno do Código Florestal é natural, diz Temer

Vice-presidente disse que governo não conta com aprovação do projeto na próxima semana

AE |

selo

O vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), disse hoje que o governo não conta com a aprovação do Código Florestal para a próxima semana. Ao chegar à Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, onde fará uma aula magna nesta manhã sobre reforma política, Temer afirmou que o governo espera um acordo entre os ambientalistas e os produtores rurais e que uma solução negociada pode ajudar na repercussão internacional sobre o tema. "Eu sei que em questões ambientais é preciso tomar muito cuidado com as repercussões internacionais."

Temer admitiu que o tema é polêmico e que a alteração dos ânimos já era prevista. "O tema é polêmico. É natural que haja essa discussão e, de vez em quando, uma certa radicalização." De acordo com o vice-presidente, a expectativa é que em mais alguns dias o tema possa ser aprovado pelo Congresso. "Um grande acordo é mais útil para o País."

Dilma

De acordo com Temer, a presidenta Dilma Rousseff , que cancelou viagem para o Paraguai por recomendação médica, passa bem e não há motivos para preocupação. "Eu disse a ela que ela está com uma aparência muito boa, mas que tem de descansar", afirmou. Temer acredita que a gripe forte que se transformou em uma pneumonia foi consequência da viagem dela à China. "Praticamente dez dias mudando de fuso horário, voltando para cá sem descansar minimamente, nem sequer um dia, acabada acontecendo isso. É gripe forte, mas ela está muito bem."

    Leia tudo sobre: dilma rousseffcódigo florestalmichel temer

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG