'Que sejam felizes', diz Alckmin aos que deixam PSDB

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), negou hoje que tenha responsabilidade sobre os anúncios de saída do partido de vários tucanos

AE |

selo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), negou hoje que tenha responsabilidade sobre os anúncios de saída do partido de vários tucanos. Em evento realizado na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o governador preferiu não se estender nos comentários sobre o tema e desejou felicidade àqueles que estão deixando o PSDB.

AE
O governador Geraldo Alckmin e o presidente do diretório paulistano do PSDB, Julio Semeghini
"Olha, eu desejo que sejam felizes no seu novo partido. Nenhum outro comentário", disse. "Não temos nada contra e respeitamos as decisões de cada um."

Indagado especificamente sobre as críticas feitas pelo secretário municipal de Esportes e Lazer, Walter Feldman, que atribuiu a Alckmin a culpa pelo racha tucano, o governador foi sucinto: "Não, imagina. Eu desejo que as pessoas sejam felizes."

Feldman, após anunciar hoje que deixará o PSDB, disse que a legenda está se desviando de seu caminho e culpou Alckmin pela crise interna do partido devido ao "erro" nas eleições municipais de 2008, quando insistiu em ser candidato a prefeito e, "de maneira equivocada, quebrou a aliança PSDB-DEM".

Na semana passada, seis vereadores já haviam anunciado a saída do PSDB: Dalton Silvano, José Police Neto, Ricardo Teixeira, Gilberto Natalini, Juscelino Gadelha e Souza Santos.

    Leia tudo sobre: ECONOMICOPOLITICA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG