O ex-prefeito Aarão de Moura Brito Neto foi cassado pelo TRE-RJ no ano passado por abuso de poder político

Quatro candidatos à prefeitura de Mangaratiba, na região metropolitana do Rio, apresentaram o pedido de inscrição de suas candidaturas nas eleições suplementares de cidade, que serão realizadas dia 6 de fevereiro. O ex-prefeito Aarão de Moura Brito Neto (PMDB) foi cassado pelo TRE-RJ no ano passado por abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação. O vice-prefeito Marcelo Tenório da Cruz, também foi cassado pelos mesmos motivos. Ambos ficaram inelegíveis por três anos.

Estão na disputa: José Luiz Figueiredo Freijanes (PMDB), Gustavo Adolpho da Rocha Busse (PSDB), Evandro Bertino Jorge (Coligação Renova Mangaratiba, formada por PR, PSL, PC do B, PHS, PRB e PT), e Ruy Tavares Quintanilha (Coligação Por uma Mangaratiba com mais Saúde, integrada pelo PV, PSB e PT do B). O juiz responsével pela 54ª Zona Eleitoral da cidade tem até a próxima segunda-feira (17) para julgar todos os pedidos; 25.787 eleitores estão aptos a votar.

Caso seja necessário, os candidatos têm até 3 de fevereiro para apresentarem recursos. Essa também é a data limite para a realização de propaganda política, comícios ou reuniões públicas. Debates entre os candidatos serão autorizados somente até essa data.

Cassação polêmica

Antes de ser reeleito em 2008 com 64% dos votos válidos, o ex-prefeito Aarão de Moura Brito Neto encaminhou à Câmara Municipal um projeto de reestruturação de cargos e salários que aumentava os vencimentos de 1.450 servidores municipais. A proposta foi apresentada em abril daquele ano, último dia para a revisão salarial de servidores públicos, por causa do calendário eleitoral.

Segundo o TRE-RJ, a lei sancionada em 3 de julho, a Lei Complementar nº 6 esquentou o debate durante a campanha eleitoral daquele ano. Porém, 15 dias após ser reeleito, em 20 de outubro, Aarão Neto revogou o aumento dos servidores, em 41,4%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.