PT-RJ articula para colocar seu presidente regional em ministério

Membros da executiva estadual da legenda devem formalizar indicação de Luiz Sérgio para a pasta de Turismo

Manuela Andreoni, iG Rio de Janeiro |

O PT do Rio de Janeiro discute nesta sexta-feira (12), durante encontro marcado com representantes da executiva estadual, o nome que será indicado à equipe de transição para ocupar um dos ministérios da gestão da presidenta eleita Dilma Rousseff (PT). De acordo com os deputados federais ouvidos pelo iG , a bancada está de olho no Ministério do Turismo, devido à proximidade da Copa de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016, que serão sediados no Estado fluminense. O nome preferido pelo grupo  é o do presidente do PT-RJ, o deputado federal reeleito Luiz Sérgio.

“Ele ( Luiz Sérgio ) é um parlamentar de vários mandatos, votação expressiva, foi prefeito de Angra dos Reis, tem experiência de gestão, cargo executivo. A gente da bancada acha que é um bom nome”, afirmou o deputado federal Chico D’Angelo, do PT fluminense.

Luiz Sérgio, que já está no quarto mandato na Câmara Federal, foi indicado nesta terça-feira (9) pelo senador eleito Lindberg Farias, que antes era um dos nomes cotados para ocupar um ministério, mas se retirou do debate. De acordo com a assessoria do ex-prefeito de Nova Iguaçu, ele nunca quis ser ministro. Lindberg esteve em Brasília nesta terça-feira para conversar com as pessoas do PT no comitê de transição.

De acordo com D’Angelo, o nome de Lindberg foi retirado das discussões porque o partido considera essencial sua atuação no Senado. “Ele ( Lindberg ) vai cumprir um papel muito importante no Senado. Muitos dos problemas que ocorreram na gestão do ( presidente ) Lula se deveram à falta de uma maioria importante no Senado”, avaliou o deputado.

O presidente regional do PT-RJ não quis se manifestar em relação à indicação de seu nome. Por meio de sua assessoria de imprensa, afirmou que aceitaria ser ministro caso fosse indicado pelo partido, mas que não existe um desejo pessoal. Luiz Sérgio também foi a Brasília nesta terça-feira, mas, segundo seus assessores, para retomar sua atividade parlamentar.

O deputado federal pelo PT-RJ Carlos Santana afirmou que ainda não houve nenhuma conversa com os membros do PT que fazem parte da equipe de transição e evitou falar em nomes ou pastas. De acordo com ele, é necessário antes que se tenha unidade dentro da executiva estadual.

“Há um sentimento da militância que o PT do Rio vá ter um ministério de grande porte. (...) Temos um representante nacional, com quem ainda não falamos sobre isso. Nós ainda não estamos defendendo um nome, mas uma política. Antes de ficar dizendo nome, eu quero que a gente tenha unidade de todo o partido em relação a esse nome”, opinou Santana, que disse considerar Luiz Sérgio uma boa opção.

A assessoria do PT-RJ negou o debate em torno do nome de Luiz Sérgio e afirmou que não há pastas sendo discutidas. No entanto admitiu que o objetivo do partido é manter, pelo menos, o mesmo número de petistas do Estado que ocupam ministérios ou secretarias com status de ministério na futura gestão de Dilma Rousseff ( no governo Lula, o PT do Rio emplacou o ministro Édson Santos na Secretaria Especial da Igualdade Racial, e Nilcéia Freire, na Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres ).

    Leia tudo sobre: PT-RJMinistério do TurismoLuiz Sérgiotransição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG