PT vai liberar negociação com Kassab em São Paulo

Apesar das pressões de Lula, boa parte do PT da capital resiste à aproximação com o prefeito do capital paulista

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

AE
A presidenta Dilma Rousseff e o prefeito Gilberto Kassab durante a cerimônia de entrega da medalha "25 de Janeiro"
O conselho político da campanha do pré-candidato petista à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, vai se reunir neste sábado para avaliar a possibilidade de coligação com o PSD do prefeito Gilberto Kassab.

Segundo dirigentes do partido em São Paulo, a tendência é que o partido se dobre às pressões do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e libere as negociações com Kassab.

“Não vamos fugir de uma discussão que está colocada”, disse o vereador Antonio Donato, presidente do diretório municipal do PT.

Haddad: Kassab está no fim da fila para alianças com o PT

Apesar das pressões de Lula, boa parte do PT da capital resiste à aproximação com Kassab. O PT é o principal partido de oposição à prefeitura na Câmara Municipal. Haddad assumiu a candidatura adotando um discurso de críticas a Kassab.

Além disso, os petistas acreditam que o prefeito pode estar fazendo um jogo combinado com o ex-governador José Serra (PSDB), principal adversário do PT em São Paulo.

“Para quem vê a situação de fora, a partir de Brasília, pode parecer lógica uma aproximação com Kassab. Isso tiraria muita força dos nossos adversários. Mas quem enxerga a partir de São Paulo vê um quadro diferente. Uma aproximação com Kassab traria muitos riscos”, disse uma fonte do partido.

Kassab lamenta uso de violência em manifestação na Sé

Protesto na Sé termina em confronto entre polícia e manifestantes

Em reunião recente com dirigentes do PT paulistano, Lula foi enfático. “O Kassab já fez um trabalho que nos ajudou muito que foi o de desarticular o DEM (criando o PSD). Agora ele pode reduzir a força dos nossos adversários”, disse Lula, segundo relatos.

Nesta terça-feira a presidenta Dilma Rousseff se desmanchou em elogios ao prefeito. As declarações foram interpretadas pelos petistas como um sinal de que Lula e Dilma combinaram a estratégia de atrair Kassab antes de torna-la pública.

Embora a possibilidade de uma aliança seja cada vez maior, a direção do PT paulistano diz que não existe negociação formal. “Não tem uma conversa estabelecida além dos contatos entre Kassab e Lula”, disse Donato.

Segundo ele, a liberação das negociações não significa que a aliança está selada. “O presidente Lula não pediu para aprovarmos a aliança. Ele pediu apenas para avaliarmos bem a possibilidade. E é isso que vamos fazer”, disse ele.

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, Kassab reiterou que o PSD é um partido independente e está aberto a conversas tanto com o PT quanto como PSDB.

    Leia tudo sobre: kassabhaddadeleições 2012PT

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG