Publicitário e direção da campanha avaliarão como pré-candidato petista se movimenta e se tem problemas de dicção

selo

Ainda desconhecido da maioria do eleitorado e com índices de intenção de voto que não superam 4% , o pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, será alvo de um estudo de imagem. A pedido do publicitário João Santana, contratado para a campanha do ex-ministro, uma equipe de TV começou a gravar os eventos do petista.

Leia também: Dilma teme virar refém da base aliada por Haddad

Fernando Haddad passa por teste para ver como se porta no vídeo
Agência Brasil
Fernando Haddad passa por teste para ver como se porta no vídeo

Um cinegrafista, um operador de áudio e um fotógrafo estiveram na segunda-feira na comitiva de Haddad na visita a um seminário em Parelheiros, zona sul da capital. O ex-ministro usou um microfone de lapela, para registrar suas falas e a de seus interlocutores.

Trata-se de um teste para ver como o pré-candidato se porta no vídeo. Santana e a direção da campanha avaliarão como Haddad fala e se movimenta, se tem problemas de dicção, como são suas reações, de que forma manifesta emoções - ou deixa de manifestá-las - e como o povo o recebe nos eventos.

Correções

O "ensaio de imagem", como é chamado, serve para corrigir eventuais erros cometidos pelo ex-ministro, que já teve a atenção chamada pelo próprio Santana há pouco mais de um mês, quando o marqueteiro avaliou que Haddad não saíra bem em fotos nos jornais.

Saiba mais: Haddad diz que PSB pediu um mês para decidir apoio

Sem poder contar com o programa do PT no primeiro semestre, cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) , nem com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva , ainda enfrentando sequelas do tratamento contra um câncer , a exposição de Haddad no horário eleitoral de TV, a partir de agosto, é vista como ainda mais fundamental.

Diante do mau desempenho do ex-ministro na última pesquisa Datafolha, os petistas tentam minimizar o quadro e pregam paciência. "Não esperamos nenhum crescimento significativo até lá", disse um interlocutor de Haddad. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.