PT acusa dirigente tucano de crime contra honra

Partido fez duas representações contra PSDB. Uma por campanha antecipada e outra, criminal, contra Eduardo Graeff

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

Alvo de diversas representações do PSDB nessa fase de pré-campanha eleitoral, o PT saiu das cordas e partiu para o contra-ataque. O partido fez duas representações judiciais contra o PSDB. A primeira, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por propaganda antecipada. A segunda, criminal, junto à Procuradoria Geral da República, tem como alvo o tesoureiro nacional do partido e coordenador de comunicação da campanha de José Serra, Eduardo Graeff. Ele é acusado de divulgar injúrias contra a pré-candidata petista Dilma Rousseff. A pena para o crime vai de um a seis meses de detenção, além de multa.

Nos dois casos o motivo é o site www.gentequemente.org.br , registrado em nome do PSDB e que, segundo o PT, traz ofensas à honra de Dilma. O PT cita como exemplos “Dilma, só fraude explica” e “Santinha! As mentiras de Dilma Rousseff”. Além disso, as representações lembram que Graeff registrou em nome do Instituto da Socialdemocracia o domínio www.petralhas.com.br, que está desativado.

Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, o vice-presidente nacional do PT, Rui Falcão, e o secretário-geral do partido, José Eduardo Cardozo, ambos integrantes da coordenação da campanha de Dilma, disseram que o partido evitou ao máximo levar a campanha para a esfera judicial, mas não vai admitir ataques à honra da candidata. “Pra gente, não interessa levar a campanha para esse lado, pois no debate político vamos ganhar a eleição. Acontece que um partido político está assumindo a política de baixo nível, reconhecidamente assinada pela direção nacional do PSDB”, disse Cardozo. Ele comparou o conteúdo do site a um golpe baixo. “A luta nem começou e o adversário vem por trás e te dá um chute nos órgãos mais sensíveis”.

Segundo Rui Falcão, as representações não significam uma mudança de atitude do PT em relação à fase de pré-campanha. O vice-presidente da legenda disse que o PT vai continuar fazendo vista grossa para atos de pré-campanha de José Serra, mas não vai tolerar ataques abaixo da linha de cintura. “O problema não é o fato de estar fazendo campanha antecipada, mas sim o tipo de campanha, pejorativa”, disse Falcão.

De acordo com o PT, a direção do PSDB está se aproveitando da fase pré-eleitoral em que partidos e candidatos ainda não estão sujeitos às regras da campanha para fazer um jogo sujo. “O que eles querem é plantar um monte de coisa agora para que, quando começar a fase da campanha, nós tenhamos que gastar nosso tempo respondendo àquilo que foi plantado lá atrás. Esse é o tipo de jogo mais sujo que se pode fazer numa eleição”, disse Cardozo.

Os petistas fizeram questão de deixar claro que o objetivo não é tirar o site do ar, mas sim o conteúdo ofensivo. A representação feita ao TSE pede que o site deixe de veicular conteúdo ofensivo e multa de R$ 5 mil a R$ 25 mil por propaganda fora do prazo. A representação ainda será apreciada pelo Tribunal. Já a petição criminal depende da apreciação da Procuradoria Geral da República, que vai decidir se envia ou não uma denúncia contra o dirigente do PSDB.

Esta é a segunda investida do PT contra o PSDB nessas eleições, mas a primeira em nível nacional. Há cerca de duas semanas, o diretório municipal de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, acusou junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), o deputado estadual Orlando Morando (PSDB) de fazer campanha para si próprio e para Serra em outdoors que comemoram a inauguração do trecho sul do Rodoanel na região do ABC paulista.

    Leia tudo sobre: PTPSDBeleições

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG