PSDB-MG reivindica coligação formal e Aécio na propaganda do PSB

Hipótese de tucanos indicarem vice de Lacerda em Belo Horizonte também é ponto destacado por dirigente

Denise Motta, iG Minas Gerais |

Wellington Pedro/Imprensa MG
Senador Aécio e prefeito Lacerda juntos na campanha: é o que reivindica PSDB-MG; foto de 2009
O PSDB mineiro divulgou na tarde desta sexta-feira (24) uma série de reivindicações para que a legenda seja aliada do atual prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), candidato à reeleição.

Em entrevista coletiva foi apresentado um documento chamado “diretrizes e expectativas para reedição em novo patamar da aliança em BH nas eleições 2012”. No ano passado, o PSB de Lacerda fez um convite aos tucanos para que eles integrem formalmente a chapa à reeleição , em acordo envolvendo caciques das duas legendas como o senador Aécio Neves (MG) e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

Em 2008, a aliança foi informal. Agora, os tucanos de Minas criaram uma série de condições, entre elas, “a intensa participação de Aécio Neves e do governador Antonio Anastasia nas campanhas de rádio e TV e nas peças de marketing”.

Em 2008, houve questionamento judicial sobre a participação de Aécio na propaganda de televisão e de rádio de Lacerda. Isso porque os tucanos não estavam formalmente na chapa. Na reta final da eleição, a participação do então governador tucano foi considerada ilegal e vetada.

O processo posteriormente foi arquivado sem grandes consequências. Esta condição dos tucanos indica que o PSDB mineiro quer evitar qualquer tipo de arranhão na imagem de Aécio, cotado para disputar a Presidência da República em 2014.

O presidente do PSDB-MG, deputado federal Marcus Pestana, apresentou as reivindicações. Além da exposição para Aécio, há a reivindicação de “coligação formal, clara e transparente” e “participação na coordenação geral da campanha”. Também estão entre as diretrizes “a participação em subgrupos temáticos do plano de governo”; “participação proporcional ao peso político do PSDB, no segundo mandato, em caso de vitória” e “valorização da chapa de vereadores do PSDB”.

Agência de Notícias PSDB-MG
Deputado estadual João Leite, deputado federal Marcus Pestana e o vereador Pablito

Outro ponto apresentado e ressaltado por Pestana diz respeito à indicação de um “vice-prefeito que encarne o espírito da aliança e não de projetos futuros de poder”. Pestana lembrou nomes tucanos que podem ser indicados a vice: deputado federal e ex-governador Eduardo Azeredo, deputado estadual João Leite e deputado federal Rodrigo de Castro.

“Quem pode mais, pode menos”, destacou o dirigente do PSDB mineiro, depois de analisar que estes nomes têm poder político suficiente para serem candidatos a prefeito. Pestana considera possível a hipótese de Lacerda abandonar a prefeitura para disputar o governo do Estado em 2014. Com isso, a vaga de vice passa a ter peso de ouro .

O dirigente do PSDB reuniu-se com Lacerda e com o presidente estadual do PSB, Walfrido dos Mares Guia , no começo da tarde desta sexta. O encontro foi fechado e ocorreu no apartamento do prefeito, que fica no mesmo bairro em que está a sede do PSDB-MG, onde Pestana concedeu entrevista coletiva.

Ninguém do PSB, presente na reunião, foi encontrado para comentar o assunto. Sobre o PSB, o dirigente tucano chegou a comentar que é uma possibilidade o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, ser vice de Aécio em 2014.

Em entrevista ao iG , ele já havia dito que essa chapa seria “fortíssima” . Aécio destacou recentemente sintonia com o PSB de Campos . Também para o presidente do PSDB mineiro, tudo indica que o ex-ministro Ciro Gomes, amigo pessoal de Lacerda, é um dos entusiastas da aliança entre tucanos e o PSB.

O presidente do PSDB mineiro fez questão de alfinetar o ex-presidente Lula, apesar de querer fechar aliança com o PSB, que hoje está casado com o PT, já que o atual vice é o petista Roberto Carvalho.

Pestana citou como exemplos de falta de democracia no PT o que ele chamou de imposição de Lula ao retirar Marta Suplicy da disputa de São Paulo, em prol de Fernando Haddad. Também citou o caso de Alessandro Molon (PT), no Rio de Janeiro, que é contra a aliança dos petistas com o PMDB.

E o caso dos petistas em Curitiba, que caminham para apoiar o ex-deputado federal do PDT, Gustavo Fruet. “Hoje o PT não tem democracia interna. Lula é o líder que manda”. No ano passado, Lacerda e Lula almoçaram e o prefeito afirmou que o ex-presidente tinha simpatia com a manutenção da aliança PSB-PT-PSDB .

Nesta sábado (25), petistas reúnem-se para discutir a eleição 2012 em BH. O P T está dividido porque sabe a importância do PSB na disputa nacional.

    Leia tudo sobre: psdbaécio neveslacerda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG