Partido pede averiguação de receitas obtidas pelo ministro por meio de serviços de consultoria

O PSDB pediu nesta quarta-feira que o Ministério Público Federal do Distrito Federal abra investigação contra o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, por conta de suas atividades de consultoria no período entre sua saída da Prefeitura de Belo Horizonte e chegada ao ministério.

Veja também: Comissão da Cãmara derruba convocação de Fernando Pimentel

Reportagens publicadas na imprensa nos últimos dias afirmam que Pimentel ganhou R$ 2 milhões em 2009 e 2010, período após deixar o cargo de prefeito de Belo Horizonte e antes de assumir o ministério, com atividades de consultoria.

Uma das empresas atendidas por ele teria ganho uma licitação com a prefeitura da capital mineira depois da saída de Pimentel do cargo. O ministro conseguiu fazer seu sucessor na eleição de 2008. O ministro nega ter realizado tráfico de influência, afirma que não ocupava cargos públicos quando atuou como consultor e que nenhuma das empresas que atendeu tem relações com o governo federal.

Sete ministros já deixaram o governo da presidenta Dilma Rousseff , seis deles em meio a denúncias de irregularidades. Além de Palocci, Alfredo Nascimento (Transportes), Wagner Rossi (Agricultura), Pedro Novais (Turismo), Orlando Silva (Esporte) e Carlos Lupi (Trabalho).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.