PSDB e PSD negociam acordos para eleição de 2012 em Minas

Os dois partidos caminham para alianças em municípios como Ipatinga, no Vale do Aço, e Uberaba, no Triângulo Mineiro

Denise Motta, iG Minas Gerais |

O PSDB e o PSD estão de namoro em Minas Gerais e prometem concretizar o casamento nas eleições do ano que vem. Em entrevista coletiva nesta segunda-feira (10), o presidente estadual do PSDB mineiro, deputado federal Marcus Pestana, afirmou que há costuras avançadas para uma aliança com participação na chapa majoritária em pelo menos duas cidades: Ipatinga (Vale do Aço) e Uberaba (Triângulo Mineiro).

Leia também: Vale-tudo eleitoral marca reta final de filiações nos partidos

Na primeira, que abriga 171 mil eleitores, o nome cotado para disputar a prefeitura é o do secretário extraordinário de Gestão Metropolitana de Minas, Alexandre Silveira, que está no PSD e deve ter como vice um tucano. Já em Uberaba, que tem 208 mil eleitores, quem comanda as articulações é o deputado federal Marcos Montes. Recém-saído do DEM, o nome do PSD em Minas já foi secretário estadual durante a gestão de Aécio Neves (2002- 2010).

Divulgação
Marcus Pestana, presidente do PSDB de Minas
Sobre a formação do PSD do prefeito paulistano Gilberto Kassab, Pestana declarou: “Kassab é conhecido por seu poder de articulação nos bastidores. O partido dele reúne diversos líderes insatisfeitos. Existe uma identidade grande do PSD com o PSDB em Minas Gerais”. O dirigente afastou a tese de fusão entre as duas legendas. “Isto não está colocado na agenda, não existe nenhum processo de fusão. A intenção do PSDB é ganhar musculatura”, explicou.

Pestana também comentou a filiação ao PSD de Henrique Meirelles, cotado para disputar a Prefeitura de São Paulo no ano que vem e citado também como potencial candidato à Presidência da República em 2014. O tucano disse não acreditar que o ex-presidente do Banco Central possa viabilizar sua candidatura na sucessão da presidenta Dilma Rousseff (PT). “Acho difícil ( Meirelles se candidatar em 2014 ), pois ele não foi testado eleitoralmente. Ele tem um peso simbólico, mas não é um líder político”, avaliou.

Fortalecimento

Dentro da perspectiva de fortalecer o PSDB em Minas, o dirigente estadual destacou a utilização das redes sociais por vereadores para melhorar a comunicação. Em novembro, Aécio Neves e o governador mineiro Antonio Anastasia serão os destaques de inserções da propaganda partidária estadual. No mês seguinte, o PSDB mineiro dará espaço para lideranças regionais. Ao todo, nos dois meses, serão 40 inserções.

Pestana reiterou a disponibilidade de Aécio disputar a sucessão de Dilma. “O Aécio, no subconsciente do PSDB, já é uma questão resolvida.” Ele destacou que a intenção dos tucanos é aumentar o número de prefeituras no Estado para 200. Hoje o PSDB mineiro tem 158. A legenda possui 829 diretórios municipais e comissões provisórias, mesmo número de municípios onde o partido pretende lançar candidatos a vereadores. Minas possui 853 municípios.

Sobre a sucessão do governador Anastasia, o presidente do PSDB mineiro disse que a legenda não possui nome natural, ao contrário do PT, que tem o nome do ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel. Pestana disse ser “pouco provável” o partido apoiar o petista e que o nome sairá a partir das lideranças do atual governador e de Aécio e “não necessariamente será do PSDB”.

Já a respeito de Belo Horizonte, o parlamentar afirmou “ser um caso à parte”. Os tucanos mineiros devem apoiar a reeleição do atual prefeito, Marcio Lacerda (PSB), em um acordo costurado entre Aécio e o presidente nacional do PSB, governador de Pernambuco Eduardo Campos.

    Leia tudo sobre: DEMPSDBMinas Gerais

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG