Prefeito de São Paulo corre atrás de nomes para concorrer às eleições municipais de 2012.O PSD obteve registro no TSE na última semana

selo

Kassab e Afif, durante a filiação de oito vereadores no recém-criado PSD
AE
Kassab e Afif, durante a filiação de oito vereadores no recém-criado PSD
O PSD do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, corre atrás de nomes aptos a concorrer às eleições municipais de 2012 para incluir no quadro de filiações no Estado. A preferência é para ex-prefeitos, vereadores e novas lideranças com potencial de votos. Entre os alvos, estão peemedebistas da ala quercista descontentes com a executiva estadual, que dissolveu duas centenas de diretórios no Estado.

O PSD obteve registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na terça-feira (27) e corre contra o tempo para formar as bases dentro do prazo de filiações, visando ao pleito do ano que vem. O prazo termina na sexta-feira.

O Estado foi dividido em regiões sob a coordenação de deputados estaduais e federais. Para esse trabalho, Kassab se apoiou na divisão administrativa utilizada pela Fundação Seade, vinculada ao governo paulista. Para os planos do prefeito, que almeja disputar o cargo de governador em 2014, a articulação política com lideranças em todo o Estado é fundamental e, para tanto, Kassab tem retomado muitos dos contatos de suas campanhas a deputado federal.

"Como o partido vai debutar nas urnas, é importante sair com um resultado bom", argumentou o deputado Eleuses Paiva, coordenador em São José do Rio Preto. A preocupação, segundo ele, é formar um quadro de filiados com pessoas que tenham chances de ser candidatas. "Em mais de 50% das cidades da região vamos ter candidaturas a prefeito ou vice, mas o momento agora é de tocar as filiações."

A discussão sobre candidaturas virá num segundo momento, segundo Paiva. "Há muita coisa encaminhada, mas estamos evitando falar em nomes porque vai haver pressão de outros partidos." Em Rio Preto, o deputado se reuniu até com o prefeito Valdomiro Lopes da Silva (PSB). O objetivo foi apresentar a executiva local, mas ele não descarta uma possível aliança. "Na hora certa, vamos abrir a discussão."

Em Araraquara, o vice-prefeito Valter Merlos migrou para o PSD e pode enfrentar nas urnas o atual prefeito, Marcelo Barbieri (PMDB). O peemedebista Milton Araújo, de Rio Preto, conta que o PSD acabou se tornando opção para o grupo não alinhado com a atual executiva estadual peemedebista. "Aqueles que têm pretensões mais imediatas e ficaram sem garantia de legenda no partido estão migrando." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.