José Riva, que comanda legislativo local, diz que pretende levar pelo menos 30 de 141 prefeitos do Estado para nova sigla

Encabeçado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (ex-DEM), o Partido Social Democrático (PSD) já atrai grandes lideranças de Mato Grosso e deve alterar o panorama político estadual. Nomes como o do presidente da Assembleia Legislativa, José Riva, e do vice-governador, Chico Daltro, ambos ex-PP, irão compor a nova sigla, que pode se tornar uma das maiores forças políticas do Estado.

Riva, inclusive, pretende levar para o PSD pelo menos 30 dos 141 prefeitos de Mato Grosso. No entanto, a expectativa é de que esse número seja maior.“Há muitos prefeitos interessados em fazer parte da nova sigla, principalmente do Partido dos Trabalhadores (PT). Porém, há também muito interesse de gente do PSDB, PP, DEM e PPS”, afirmou o deputado, um dos políticos mais influentes – e também processados de Mato Grosso. Riva é réu em mais de 100 ações por improbidade administrativa. Segundo o deputado, a razão da migração para o novo partido é “manter os aliados mais próximos uns dos outros”, ressaltou.

Ele está em Brasília, juntamente com os deputados federais Eliene Lima, Neri Geller e Roberto Dorner, todos do PP, além de Homero Pereira (PR), Júlio Campos (DEM), do senador Jayme Campos (DEM) e do vice-governador Daltro para participar do primeiro ato oficial do PSD. Ao contrário dos Campos, os quatro deputados federais e mais o vice-governador já confirmaram filiação à nova legenda.

Após vários eventos regionais, PSD ganhou lançamento nacional nesta quarta
AE
Após vários eventos regionais, PSD ganhou lançamento nacional nesta quarta
Fundação do PSD

Nesta quarta, no Distrito Federal, será dado o início ao movimento de coleta de 500 mil assinaturas para fundar o PSD .

Diversos membros de poderes executivos municipais e estaduais de várias partes do Brasil já anunciaram a desfiliação de suas antigas legendas. Entre eles o governador do Amazonas, Omar Aziz, e os vice-governadores de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, da Bahia, Otto Alencar, e do Rio Grande do Norte, Robinson Faria.

Os senadores Sérgio Petecão (AC) e a senadora Kátia Abreu (TO), além dos deputados Eduardo Sciarra (PR), Índio da Costa (RJ) e Vilmar Rocha (GO) são alguns dos parlamentares que também vão aderir ao PSD.

O registro do PSD no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deve ocorrer até junho. Isso porque será necessária a assinatura de, pelo menos, 0,5% dos eleitores que votaram para deputado federal na eleição de 2010, o que corresponde a uma média de 500 mil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.