Presidente nacional do partido diz que quadro ainda é incerto na cidade e nega negociação de vice Fernando Haddad

O governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, disse nesta terça-feira que a decisão sobre o apoio de seu partido na eleição para a Prefeitura de São Paulo será tomada pelo diretório municipal, sem interferência da direção nacional. "Vamos respeitar a dinâmica local. A direção nacional não vai atuar nesse processo, exceto se for solicitada", afirmou o governador antes de fazer uma palestra para investidores e analistas do banco BTG Pactual, em um hotel de São Paulo.

Campanha: Marqueteiros começam a trabalhar e já palpitam em visual de Haddad

Segundo Campos, PSB nacional só vai interferir na corrida municipal se for solicitado
AE
Segundo Campos, PSB nacional só vai interferir na corrida municipal se for solicitado

Campos negou que tenha oferecido um vice do PSB para o candidato petista, o ex-ministro da Educação Fernando Haddad, como forma de facilitar a aliança com o PSD do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que tem atuado em conjunto com o PSB em várias cidades. "Não tive nenhuma conversa sobre esse quadro de São Paulo nos últimos dias. Tenho ficado em Pernambuco, isso é tudo especulação", sustentou.

O convite, segundo o jornal O Estado de S. Paulo desta terça, teria sido feito ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no dia 23 de janeiro, quando o governador visitou o petista no hospital em que Lula realiza um tratamento contra um câncer de laringe. Segundo o pernambucano, o cenário na cidade não está claro.

Entrevistas com o Poder: Despacho mais com Dilma que com Lula, diz Haddad

"O quadro ainda está muito incerto. Os partidos estão vivendo um debate interno", afirmou o governador, que manteve o posicionamento de que os diretórios municipal e estadual, que até então tendiam a apoiar o candidato do PSDB, decidirão por si que rumo tomar.

O apoio ao PSDB pode acompanhar também o movimento de Kassab, que já disse reiteradas vezes que tem um compromisso de apoiar o ex-governador José Serra (PSDB) para a prefeitura. O tucano resistia à ideia, mas, segundo foi divulgado nesta terça, teria autorizado o governador Geraldo Alckmin (PSDB) a buscar alianças para a sua candidatura.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.