PSB fecha com PC do B e convida PSDB para aliança em BH

Movimentação do partido isola o PT, que atualmente tem a vice na prefeitura da capital mineira

Denise Motta, iG Minas Gerais |

Divulgação
Márcio Lacerda, Jô Moraes e Walfrido dos Mares Guia: ex-rivais, PSB e PC do B devem ir juntos em Belo Horizonte
O PSB de Belo Horizonte formalizou acordo com o  PC do B e convidou o PSDB para fazer parte da chapa de Márcio Lacerda, atual prefeito, para as eleições de 2012. Com isso, os socialistas isolaram o PT - que atualmente tem o vice-prefeito da capital mineira.

Na prática, ou PT o aceita a decisão dos socialistas ou lança candidato próprio com poucas alianças - o PMDB também deve ter candidato próprio na cidade. Com as sinalizações do diretório municipal, contudo, o PT parece preferir ir sozinho a se aliar aos tucanos.

O PT de Belo Horizonte entregou nesta tarde de segunda-feira (19) um documento ao PT de Minas Gerais no qual define diretrizes para as eleições municipais de 2012. Destaca-se na resolução, por unanimidade do diretorio municipal, o veto de alianças com partidos opositores ao governo da presidenta Dilma Rousseff (PT): PSDB, PPS e DEM. A medida é uma reação à movimentação do prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), que formalmente convidou os tucanos para a aliança. “Minha pré-candidatura à reeleição é natural, assim como as alianças que se concretizam são um projeto coletivo”, defende o prefeito. 

O presidente do PT da capital mineira, que é atualmente o vice-prefeito de Belo Horizonte, Roberto Carvalho, disse ao iG que já avisou tanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) quanto a presidenta Dilma que a prioridade é reconstruir a unidade do PT e de sua base em Minas Gerais. “Temos uma resolução que decide não coligar onde estejam o PPS, o DEM e o PSDB. Inclusive a decisão do Congresso Nacional do PT, recentemente, foi neste sentido”, explicou Carvalho. Ele também disse que o diretório municipal tem carta branca para conduzir o processo eleitoral do ano que vem.

A medida de formalizar ao PT estadual posicionamento contra os oposicionistas de Dilma visa abafar movimentação do senador Aécio Neves (PSDB), que vem trabalhando para manter o PSDB na aliança para reeleger Lacerda, com participação de um petista na chapa majoritária. Com a formalização de documento do PT contra os tucanos, Lacerda precisaria escolher se fica com os petistas ou com o PSDB. Isso porque, segundo o presidente do PT de Belo Horizonte, não há possibilidade de uma interferência estadual ou nacional no sentido de impor uma aliança com os tucanos. Em recente visita à capital mineira, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, havia dito que as situações especiais, como a de Belo Horizonte, serão discutidas separadamente.

Manifestar algo que não é de sua competência é um ato inútil. Quem fala pelo PSB e quem conduz as articulações para a reeleição de Marcio Lacerda é o seu partido, o PSB. E não temos que pedir licença para os demais partidos para fazer alianças”

Visita tucana

A reação do PT ocorreu porque o prefeito Lacerda e o presidente estadual do PSB, Walfrido dos Mares Guia , receberam nesta segunda tucanos na sede da legenda em Belo Horizonte, em uma manifestação de aproximação com vistas à sucessão municipal. O PSB convidou os tucanos para integrar formalmente a chapa. Apesar de o convite ser do PSB para o PSDB, foram os tucanos quem se deslocaram para a sede do partido de Lacerda. O presidente do PSDB de Belo Horizonte, deputado estadual João Leite, esteve na sede do PSB de Minas e disse que irá discutir com as bases do partido o convite para integrar a aliança em torno da reeleição de Lacerda.

Da base da presidenta, o PCdoB sinalizou hoje apoio à Lacerda, desenhado por candidaturas em outros estados. Também nesta segunda, o prefeito visitou a sede do PCdoB para receber o apoio da deputada federal Jô Moraes (PCdoB), que em 2008 foi adversária dele. A parlamentar abre mão de disputar a prefeitura por causa de um acordo envolvendo o nome da também deputada federal Manoela D'Ávila, que disputará a prefeitura de Porto Alegre com apoio do PSB, em 2012.

Questionado nesta segunda por jornalistas sobre a resistência do PT em aceitar os tucanos na aliança, o presidente do PSB de Minas Gerais considerou a medida “inútil”. “Manifestar algo que não é de sua competência é um ato inútil. Quem fala pelo PSB e quem conduz as articulações para a reeleição de Marcio Lacerda é o seu partido, o PSB. Ele é candidato do PSB. E nós convidamos para a aliança também o PSDB, o PT e o PDT, partidos que estão na prefeitura. E não temos que pedir licença para os demais partidos para fazer alianças”, disparou. Lacerda reiteradamente vem defendendo a manutenção da aliança entre petistas e tucanos, pois “é uma união positiva para a população”, como frisou nesta segunda.

No PT estadual em Minas, há quem critique a imposição de se proibir coligação. “Se eu estou apaixonado por alguém e não sou correspondido, esta pessoa por quem eu estou apaixonado não pode me proibir de estar apaixonado, certo?”, citou como exemplo um dirigente do PT mineiro.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG