PSB espera posição de Ciro Gomes para definir ministérios

Nomes do partido, que deve ficar com Integração Nacional e Secretaria dos Portos, serão definidos até quarta-feira

iG Brasília |

Depois de reunião na Granja do Torto ontem com a presidenta eleita Dilma Rousseff , a cúpula do Partido Socialista Brasileiro (PSB) aguarda uma resposta do deputado Ciro Gomes (CE) para definir como vai compor sua cota na Esplanada dos Ministérios.

Ciro Gomes, antes ignorado pelo partido para ministérios, foi sugerido por Dilma, com apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva , conforme revelou ontem o Poder Online . Os nomes inicialmente indicados pelo PSB para as pastas são os de Fernando Bezerra, atual secretário de Desenvolvimento Econômico do governo de Eduardo Campos, em Pernambuco, e Márcio França, deputado por São Paulo. França, porém, não é um político de consenso dentro da equipe de transição.

Até a próxima semana, o PSB prometeu uma resposta ao convite de Dilma sobre quem indica para ocupar as pastas da Integração Nacional e a Secretaria dos Portos, que foram reservadas ao PSB. A participação de Ciro no governo, porém, pode garantir ao partido mais uma vaga no governo, embora esta possa ser do segundo escalão.

A predileção de Dilma por Ciro ficou clara com a participação de seu irmão, o governador do Ceará, Cid Gomes, na reunião de ontem na Granja do Torto. Cid ganhou a incumbência de comunicar o resultado da reunião ao irmão, que está em viagem no exterior, para depois reportar ao partido qual sua posição.

Ciro tem a preferência da equipe de transição por ter descartado candidatura própria à Presidência neste ano e declarado apoio a Dilma Rousseff. Depois do primeiro turno, ele foi convidado a fazer parte do núcleo da campanha.

A Ciro agora cabe decidir se aceita retornar à pasta da Integração Nacional, que já ocupou no governo Lula. Inicialmente, a aliados ele disse que recusaria a oferta, considerando-a "figurinha repetida". Mas, agora, restaram poucas posições de ponta no governo. Se declinar, Ciro ainda tem a opção de ocupar a presidência do Banco do Nordeste (BNB) uma espécie de BNDES da região.

O PSB ganhou peso na composição do governo Dilma por ter seis governadores eleitos neste ano. Com isso, aumenta a pressão sobre mais cargos na administração federal. Uma decisão final sobre os nomes do PSB no governo Dilma será tomada até quarta-feira, prazo que Ciro assumiu para se manifestar sobre o convite.

    Leia tudo sobre: ciro gomescid gomeseduardo campospsbtransição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG