Protesto contra a corrupção reúne 2,5 mil pessoas no centro do Rio

Expectativa dos organizadores era de que o público chegasse a 30 mil

iG Rio de Janeiro |

Bruna Prado / Frame / Agência O Globo
Manifestantes levaram vassouras pintadas nas cores da bandeira nacional para o protesto no Rio
Idealizado na internet, o manifesto “Todos Juntos contra a Corrupção” contou com a presença de cerca de 2,5 mil pessoas entre o final da tarde e o início da noite desta terça-feira (20) na Cinelândia, no centro do Rio de Janeiro. A estimativa de público é da Polícia Militar. Os organizadores esperavam reunir 30 mil pessoas no protesto, baseados no apoio conquistado no Facebook.

“O movimento surgiu na rede social depois de lermos no jornal 'El País', da Espanha, que no Brasil ninguém se mexia contra a corrupção, que fazíamos apenas passeatas gays, religiosas ou defendendo a legalização das drogas. Por isso, resolvemos nos mobilizar em torno do combate à corrupção”, disse a empresária Cristine Maza, uma das organizadoras.

Daniel Gonçalves
Boneco gigante do Pinóquio foi uma das atrações da manifestação contra a corrupção no Rio
Com faixas e cartazes, os presentes gritaram palavras de ordem contra a impunidade. Os manifestantes também levaram 594 vassouras pintadas nas cores da bandeira nacional, representando cada um dos 81 senadores e 513 deputados. Muitos cartazes improvisados e feitos à mão faziam referência à "faxina" promovida pela presidente Dilma Rousseff no governo federal. Uns apoiavam e outros reclamavam que a "limpa" havia sido interrompida.

As demais reivindicações foram variadas. Manifestantes apoiavam a Lei da Ficha Limpa, o voto distrital, a campanha "Fora Ricardo Teixeira", a aprovação da PEC 300. Houve protestos até por questões locais, como o sucateamento do sistema de bondes de Santa Teresa e campanhas por drenagem e pavimentação de ruas.

Daniel Gonçalves
André Luiz dos Santos ficou amarrado a uma cruz de madeira para protestar contra a corrupção
A maior parte do público era formada por pessoas entre 30 e 50 anos, o que, para Cristine Maza, reflete a faixa etária dos organizadores e seus contatos na internet. Entre a classe estudantil, houve pouca adesão. “Essa mobilização nas redes sociais ainda não chegou ao povão”, disse o estudante russo Dmitry Storokov, 29 anos, radicado no Brasil desde 1998. “Mas apóio muito. O importante é o pessoal começar a se mobilizar para que algo aconteça”.

O mineiro André Luiz dos Santos, de 56 anos, vestia uma camiseta com a frase "Sinto vergonha das autoridades constituídas do meu País”. Ele contou ter chegado ao local às 5h e, desde então, estava sem comer. Amarrado a uma cruz de madeira, como Cristo crucificado, ele afirmou ter feito uma greve de fome no ano passado em frente ao STF (Superio Tribunal Federal) para protestar contra a corrupção.

Marcelo Carnaval / Agencia O Globo
A cantora Fernanda Abreu marcou presença no protesto realizado na Cinelândia
O ato no Rio também contou com a presença de personalidades como Fernanda Abreu e Roberto Frejat . O pai do cantor, José Frejat, de 88 anos, acompanhou o filho no manifesto. “A população tem mais é que se mobilizar. Não tenho mais medo do grito dos maus, mas sim da apatia dos bons. Das pessoas que não se movem, fazem piada com a corrupção e depois vão para o sossego de suas casas sem nada fazer. Se as pessoas não fizerem algo, a tendência é de que a corrupção aumente”.

Os organizadores do movimento “Todos Juntos contra a Corrupção” ainda aproveitaram o ato para recolher assinaturas pedindo pressa na tramitação do projeto de lei que transforma em crimes hediondos os delitos de concussão e corrupção ativa e passiva, além de propor o aumento da pena para esses crimes.

* com informações de Daniel Gonçalves e das agências Estado, Brasil, EFE e BBC Brasil

    Leia tudo sobre: protestocorrupçãomanifestocinelândia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG