Proposta do governo ganha força entre aliados

Com chancela de Lula, líder no Senado tenta costurar acordo amplo para convencer lideranças da base a votarem por reajuste de 7%

Fred Raposo, iG Brasília |

Com a chancela do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, aumentou nesta quarta-feira a aceitação, por parte da base, da proposta de reajuste de 7% aos aposentados feita pelo líder do governo, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP). Até a noite de ontem, as lideranças aliadas, encabeçadas pelo PDT e pelo deputado Paulinho da Força (SP), estavam fechadas com o aumento de 7,7%.

Uma derrota na sessão plenária de ontem, dada como certa pelo governo, foi contornada por meio de uma manobra regimental, o que adiou a leitura do relatório e a votação da MP 475 para hoje. Pela manhã, as lideranças aliadas participaram de nova reunião no gabinete de Vaccarezza. Alguns partidos acenaram, ali, que podem votar com o governo. "Foi um avanço", diz o líder petista, acrescentando que legendas como o PP e o PR se mostraram favoráveis à proposta de 7%.

Representante do PP na reunião, o deputado Celso Russomano (SP) lembra que o partido chegou a defender os 7,7%. Mas disse que considera "uma vitória dos partidos da base" que o presidente Lula "tenha aceito o reajuste de 7%". "Inicialmente o aumento seria de 6,14%, Mas a maioria (das lideranças) se mostrou favorável aos 7%. Tenho certeza que o presidente gostaria de dar mais, só que é preciso ter noção dos problemas que um reajuste muito alto podem causar", assinala Russomano.

Já os líderes do PSC e do PDT, Hugo Leal (RJ) e Dagoberto Nogueira (MS), deixaram o gabinete antes de a reunião terminar. Ambos se mostraram confiantes na aprovação dos 7,7%. "O instrumento de pressão do governo é forte, mas seria uma surpresa se conseguirem aprovar os 7%", afirma Leal.

A base volta a se encontrar na tarde de hoje com o líder do governo no Senado, Romero Jucá. Após conversa ontem à noite com Lula, Jucá foi encarregado de costurar um acordo amplo que garanta que a proposta governista seja aprovada no Senado - fator determinante, segundo os líderes aliados ouvidos pelo iG, para que a mesma passe na Câmara.

    Leia tudo sobre: lulaaposentadosvaccarezzacongresso

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG