Ele é acusado de ter sido omisso em um suposto esquema de corrupção comandado pelo ex-presidente da Casa da Moeda, Luiz Denucci

A Procuradoria da República do Distrito Federal abriu procedimento investigatório para apurar possível ato de improbidade administrativa pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega. Ele é acusado de ser sido omisso quanto a um suposto esquema de corrupção comandado pelo ex-presidente da Casa da Moeda, Luiz Felipe Denucci.

Guido Mantega: acusado de omissão
AP
Guido Mantega: acusado de omissão

A representação contra o ministro da Fazenda foi protocolada na Procuradoria Geral da República (PGR) em fevereiro pelo senador Demóstenes Torres (DEM-GO). Em 16 de março, o procurador-geral, Roberto Gurgel, encaminhou o caso à Procuradoria do DF por entender que não havia necessidade de remeter o processo ao Supremo Tribunal Federal (STF) para a abertura de uma investigação.

O procedimento administrativo foi instaurado na quinta-feira da semana passada, assinado pelo titular do 3º Ofício de Patrimônio Público, procurador da República Júlio Carlos Schwonke. A equipe tem 90 dias para apresentar as primeiras conclusões desta investigação. Se o tempo não for suficiente, a Procuradoria da República pode converter o procedimento em um inquérito civil público.

No início do ano, reportagem da Folha de São Paulo afirmou que Denucci recebeu U$$ 25 milhões de empresas fornecedoras da Casa da Moeda. Ele foi demitido após Mantega saber do teor da reportagem. Até o fechamento desta matéria, o ministro não havia se pronunciado sobre o assunto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.