Presidente do TJ assume governo do AP após prisão de governador

Pedro Dias (PP), candidato à reeleição, foi preso com mais 17 pessoas por suspeita de devio de recursos públicos do Estado

Agência Brasil |

O presidente do Tribunal de Justiça do Amapá (TJ-AP), Dôglas Evangelista Ramos, assumiu o governo do Amapá após  escândalo que afastou o atual governador, Pedro Paulo Dias de Carvalho (PP), preso nesta sexta-feira (10) com mais 17 pessoas. Entre os presos estão o ex-governador Waldez Góes (PDT) e o presidente do Tribunal de Contas do Estado, José Júlio Miranda. Eles são acusados de envolvimento em um esquema de desvio de recursos públicos.

De acordo com o tribunal, Ramos está reunido com autoridades estaduais para definir como fica o governo do Amapá a partir de agora. O governador em exercício foi o primeiro presidente do TJ-AP.

Com o afastamento do governador, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado, Jorge Amanájas (PSDB), seria o primeiro na linha sucessória. Mas ele não pôde assumir pois se desincompatibilizou do cargo para disputar a eleição ao governo estadual. Ele é uma das 87 pessoas contra as quais foram expedidos pela Justiça mandados de condução coercitiva para dar explicações à Polícia Federal.

A Operação Mãos Limpas desarticulou nesta sexta-feira uma organização criminosa composta por servidores públicos, agentes políticos e empresários, que desviava recursos públicos do Estado do Amapá e da União. Além da PF, a Receita Federal, a Controladoria-Geral da União, o Banco Central e o Superior Tribunal de Justiça (STJ) acompanham a operação.


    Leia tudo sobre: operção pfmãos limpasamapágovernadoreleições

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG