Roberto Freire avalia que candidatura em São Paulo não acaba com projeto nacional de tucano de chegar ao Planalto

Freire, com imagem de Serra ao fundo
AE
Freire, com imagem de Serra ao fundo
O presidente nacional do PPS, Roberto Freire (PE), disse hoje que o lançamento de José Serra (PSDB) à Prefeitura de São Paulo não inviabiliza uma candidatura do tucano à Presidência da República em 2014. “Qualquer coisa política não dá para ser definida com tanta antecedência”, afirmou.

Ao longo de 2011, Freire deixou as portas abertas do PPS para receber Serra , sobretudo as disputas internas que o tucano passou a enfrentar dentro do PSDB após a derrota na eleição presidencial de 2010. Atualmente, o senador mineiro Aécio Neves é o principal nome tucano para concorrer ao Planalto.

Aliado estratégico do PSDB desde 2006, o presidente do PPS acha que ainda é cedo para falar no nome que liderará as oposições em 2014. Ele, porém, ressaltou: “A candidatura de Serra em São Paulo reforça a posição de liderança nacional que ele detém no País e no seu partido. Ele uniu partido em torno do seu nome”.

Serristas, no entanto, não querem nem ouvir falar em projeto 2014 no momento em que o ex-governador paulista ainda se prepara para disputar a prefeitura. Isso porque, em 2004, quando candidatou-se pela primeira vez ao comando da cidade, ele assinou carta em que se comprometia a ficar no cargo até o fim do mandato.

Como se sabe, em abril 2006, apenas um ano e quatro meses após tomar posse, Serra renunciou a prefeitura paulistana para concorrer ao governo. Acabou eleito no primeiro turno. Menos de quatro anos depois, o tucano voltou a deixar o cargo antes de completar o mandato para concorrer à Presidência da República.

O líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), também não descarta o nome de Serra para 2014. “Ainda é cedo para saber o que vai acontecer. 2014 ainda está longe. Vamos superar esta etapa de 2014”, disse Dias.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.