Acordo entre os dois candidatos evita racha no PMDB-RJ e garante governabilidade a Sérgio Cabral

Deputado Paulo Melo disse que se preparou para o posto e que não abriria mão da disputa
Alerj/ divulgação
Deputado Paulo Melo disse que se preparou para o posto e que não abriria mão da disputa
O governador Sérgio Cabral (PMDB) conseguiu consolidar um acordo que irá facilitar a governabilidade a seu segundo mandato na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Com o apoio do atual presidente da Casa, Jorge Picciani (PMDB) – candidato derrotado ao Senado –, Cabral fez com que os dois candidatos à presidência da casa legislativa, ambos do partido do governador, desistissem da disputa por um acordo. Cada um deles ocupará o cargo por dois anos.

No fim do ano passado, o comando da Alerj estava sendo disputado por três peemedebistas: os deputados Paulo Melo, líder do governo; Domingos Brazão, presidente da Comissão de Saneamento Ambiental; e Edson Albertassi, presidente da Comissão de Orçamento. Sem brigas, Albertassi desistiu da corrida. Melo e Brazão seguiam dispostos a partir para o embate.

O deputado Domingos Brazão se prepara para comandar a presidência a partir de 2013
Alerj/ divulgação
O deputado Domingos Brazão se prepara para comandar a presidência a partir de 2013
A fim de evitar rachas no PMDB, o governador Sérgio Cabral e o deputado Picciani começaram a agir. O maior receio era o de desmobilizar a bancada governista ao longo de uma candidatura em que a oposição no legislativo saiu fortalecida nas urnas. O Partido da República (PR), do ex-governador Anthony Garotinho, elegeu a terceira maior bancada. A filha de Garotinho, Clarissa, foi a quinta mais votada e deve comandar a oposição ao governo.

Ânimos acalmados entre os correligionários, Paulo Melo deverá ser então o futuro presidente da Alerj nos próximos dois anos. Em 2013, Brazão assume.

Antes do acordo, o ocupante do posto, Jorge Picciani não escondia sua preferência por Melo, que contava também com o apoio do governador.

Regimento interndo será alterado

A divisão da presidência põe fim a uma era de mandatos consecutivos na Alerj. O próprio governador Sérgio Cabral chegou a presidir a Casa por quatro mandatos seguidos. Picciani, seu sucessor, ocupou a presidência por cinco mandatos ininterruptos. Agora, o regimento interno da Alerj será alterado para impedir reeleições sucessivas.

O anúncio do acordo foi feito pelo governador através do Twitter: “Estou muito feliz (...). Temos acordo para a presidência da Alerj”.

A votação para consolidar Paulo Melo futuro presidente da Assembleia Legislativa do Rio está prevista para o dia 1º de fevereiro, quando termina o recesso parlamentar e os novos deputados tomam posse. A Mesa Diretora também será montada na ocasião. Ficou acertado que o deputado e apresentador Wagner Montes (PDT) será o primeiro-secretário da Casa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.