Pré-sal fica para depois das eleições, diz governo

Sem acordo com oposição, líder governista na Câmara diz que prioridade agora é votar MPs

Fred Raposo, iG Brasília |

O líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse nesta terça-feira que a votação dos projetos do pré-sal ficará para depois das eleições. O petista afirma não ter chegado a acordo com a oposição sobre a criação do Fundo Social ou da instituição do sistema de partilha, matérias até então encaradas como prioritárias pelo governo.

Após semanas de baixo quórum de parlamentares - justificado pelos próprios pela participação brasileira na Copa do Mundo e pelas festas juninas -, o governo havia anunciado esforço concentrado para apreciar matérias prioritárias na terça e na quarta-feira. O plenário, no entanto, se manteve vazio, o que, reforça Vaccarezza, inviabilizou as votações.

"Estamos tentando votar o pré-sal há quatro semanas, mas a oposição tem outras prioridades. Com o quórum da Casa tão baixo, fica fácil obstruir a matéria", assinalou Vaccarezza. "Tirando agora a discussão do pré-sal, tira metade da tensão que vem obstruindo as votações. Depois das eleições a Câmara será outra".

O governista explicou ter acertado com o presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP), a realização de sessões extraordinárias para votar, antes do recesso parlamentar, quatro Medidas Provisórias (MP) que perdem a validade em agosto.

Segundo Vaccarezza, as três MPs que ficarão faltando - duas delas sobre a organização das Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro - seriam votadas no começo de agosto. Outra prioridade, ainda segundo o líder, é a chamada PEC 300, que estabele piso salarial para policiais e bombeiros nos estados. "Queremos votar a primeira parte dela antes do recesso. É um compromisso meu, não do governo", pontuou.

    Leia tudo sobre: pré-salvaccarezzaPEC 300MP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG