Pedido foi para postegar até 30 de dezembro o decreto que cancela os pagamentos autorizados pelo governo mas não liberados

selo

Em reunião hoje, em Brasília, os prefeitos das capitais e de grandes e médias cidades brasileiras, que integram a Frente Nacional de Prefeitos, decidiram encaminhar ao governo federal uma carta pedindo que seja adiado de 30 de abril para 30 de dezembro o decreto que cancela os chamados restos a pagar, que são pagamentos autorizados pelo governo mas não liberados. Os prefeitos argumentam que tem obras já começadas, licitadas e não iniciadas, e sem o repasse do dinheiro, tudo será prejudicado. Segundo os prefeitos há uma situação de pânico e incerteza com a possibilidade de suspensão desse pagamento.

Eles vão tentar uma audiência com a presidenta Dilma Rousseff para manifestar essa preocupação. No encontro, foi fechada uma chapa suprapartidária da Frente, para a condução das negociações com o governo. O prefeito de Vitória, João Coser (PT), foi reconduzido para a presidência da Frente. O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), ficou com a primeira vice; o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), com a segunda vice-presidência e a prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PC do B), com a secretaria-geral.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.