Prefeito de Salvador pede desfiliação do PMDB

Partido já havia iniciado processo de expulsão de João Henrique Carneiro

Thiago Guimarães, iG Bahia |

O prefeito de Salvador, João Henrique Carneiro, encaminhou à Justiça Eleitoral nesta quinta-feira (3) seu pedido de desfiliação do PMDB.

A medida é mais um capítulo da crise política enfrentada pelo prefeito e que se agravou neste mês.

No último dia 19, o PMDB baiano, liderado pelo grupo do ex-deputado Geddel Vieira Lima, oficializou o rompimento com João Henrique e orientou seus seis vereadores (são 41 ao todo) a fazer oposição ao prefeito na Câmara Municipal. Justificou a decisão por supostos “desacertos administrativos” da gestão.

No início de janeiro, em outro episódio do desgaste da relação entre João Henrique e o partido, o vereador Alfredo Mangueira (PMDB) renunciou à chefia da Casa Civil da prefeitura, menos de 24 horas após assumir o posto. Alegou falta de autonomia para a função. A nomeação de Mangueira integrou uma reforma no secretariado feita por João Henrique que reduziu o espaço do PMDB na administração municipal e também contribuiu para o afastamento entre o prefeito e a legenda.

A eleição do ano passado também deteriorou a relação entre o prefeito e o PMDB baiano, que apontou pouco empenho de João Henrique na campanha de Geddel ao governo do estado, pleito vencido pelo governador Jaques Wagner (PT).

Segundo nota divulgada pelo PMDB-BA, a desfiliação evita o julgamento do prefeito na Comissão de Ética da sigla, onde respondia a um processo de expulsão.

O partido diz aguardar “confiante” o pedido de desfiliação do prefeito em razão da “possibilidade de ser enquadrado na perda de mandato por infidelidade partidária”.

No ofício encaminhado à Justiça Eleitoral, o prefeito diz ser alvo de “grave discriminação” no partido, o que justificaria sua decisão.

O destino político do prefeito da terceira maior capital do País ainda é incerto. PP e PTN são partidos que demonstraram interesse em receber o prefeito. Por ora, João Henrique ainda conta com maioria de 19 vereadores na Câmara. Situação que pode se alterar caso os seis vereadores do PMDB adotem postura oposicionista e engrossem a bancada de oito vereadores de oposição, de PT e PCdoB. Há ainda uma bancada considerada independente, com oito vereadores.

    Leia tudo sobre: prefeitosalvadordesfiliaçãoPMDB

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG