Prefeita do PT é presa acusada de matar vereador em Alagoas

Crime teria sido cometido depois que vereador decidiu abandonar a bancada da prefeita e sair candidato a prefeito de Anadia

AE |

selo

A Polícia Civil de Alagoas prendeu na madrugada de hoje a prefeita de Anadia, Sânia Teresa (PT), acusada de ser a mandante da morte do médico e vereador, Luiz Ferreira de Souza (PPS), assassinado a tiros no dia 3 de setembro. Foram presos também, acusados pelo mesmo crime, Alessander Ferreira Leal, marido da prefeita; e um policial militar Claudio Magalhães da Silva, primo e segurança de Sania. O PT afastou a prefeita do partido.

Os mandados de prisão temporária foram expedidos pelos juízes da 17ª Vara Especial Criminal, a pedido da comissão de delegados que investigam o crime. O vice-prefeito, José Augusto (também do PPS), primo do vereador assassinado, deve assumir o comando do município. O marido e o filho da prefeita também respondem a processo por espancamento: recentemente, eles foram acusados de espancar o médico Claudemilniston Queiroz, de 53 anos, dentro do Hospital Municipal de Anadia.

Segundo José Augusto, seu primo morreu porque decidiu abandonar a bancada da prefeita e sair candidato a prefeito de Anadia. Na semana passada, em entrevista à imprensa, o vice-prefeito disse que o rompimento de Luiz Ferreira com a prefeita traria graves consequências, como a possível cassação do mandato de Sânia Tereza.

Investigação

Além das prisões, cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos em cinco locais, inclusive na residência da prefeita e na sede da Prefeitura Municipal de Anadia, a 88 quilômetros de Maceió. A prefeita e o marido foram trazidos para a sede da Delegacia Especial de Investigação e Capturas (DEIC), onde prestariam depoimento. O policial militar seria levado para o presídio da PM, depois de passar por exame de corpo delito no Instituto Médico Legal (IML).

Segundo o secretário estadual de Defesa Social de Alagoas, coronel PM Dário Cesar, a suspeita é que o policial militar e segurança da prefeita tenha sido o autor dos disparam que mataram o vereador. No entanto, a polícia não descarta a participação de outras pessoas no apoio a execução do crime.

Luiz Ferreira foi assassinado com mais de 12 tiros, dentro do seu carro, na estrada, quando se dirigia a Anadia, logo após deixar a emissora de rádio, no município de Maribondo, onde tinha um programa voltado para a saúde. Durante o programa, Luiz Ferreira falou de política e revelou que tinha disposição para disputar a prefeitura de Anadia.

Prefeita nega acusações 

A prefeita nega participação no crime e se diz ameaçada de morte. A operação para executar as prisões dos acusados da morte do vereador contou com a participação de mais de 50 policiais. O delegado-geral adjunto da Polícia Civil, Mario Jorge Marinho, os delegados Paulo Cerqueira (DEIC), Kelmann Vieira, Mauricio Henrique Duarte, Francisco Amorim (Antissequestro) e Marcos Lins (DRFVC) e a delegada Ana Luiza Nogueira estiveram no comando da operação.

O PT de Alagoas, até o momento, não se pronunciou sobre a prisão da prefeita, mas a assessoria do diretório estadual do partido informou que está sendo preparada uma nota oficial sobre o ocorrido. Já o PPS defende o aprofundamento das investigações, bem como as prisões dos executores e dos mandantes.

    Leia tudo sobre: crimeprefeitaveradorAlagoasAnadia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG