Corte de pessoal faz Prefeitura em crise economizar mais de R$ 1 milhão. Novos secretários serão nomeados

A prefeita interina de Dourados (MS), Délia Razuk (PMDB), substituiu o secretariado nomeado pelo juiz Eduardo Machado Rocha. Ela assumiu a administração municipal na última sexta-feira por meio de eleição indireta e anunciou alguns nomes para ocupar cargos do primeiro escalão.

As mudanças em Dourados ocorreram depois que o prefeito Ari Artuzi foi preso junto com o vice Carlinhos Cantor, outros nove vereadores, secretários e funcionários da Prefeitura que estavam envolvidos com esquema de pagamento de propina feito por empresas privadas.

A prisão dos envolvidos, no dia 1º de setembro, foi desencadeada pela Operação Uragano da Polícia Federal, que gravou todo o esquema de pagamento de mesada aos parlamentares de Dourados.
Novos secretários. De acordo com a prefeita interina, a mudança tem como objetivo corrigir os problemas municipais.

Um dos escolhidos da prefeita é o advogado Maurício Nogueira Rasslan, nomeado para a Secretaria de Governo, ocupada pelo ex-delegado de Polícia, Carlos Alberto Farnesi. O vice-presidente do PMDB, Antônio Nogueira, foi nomeado para a pasta de Planejamento e Obras, no lugar de Dirson Missio. E o advogado Paulo César Nunes da Silva, procurador Geral do Município, será substituído por Adilson Josemar Puhl.

Permanece no cargo a médica Denize Nemirovsky, que está no comando da Secretaria de Saúde e foi escolhida após um acordo entre entidades de profissionais da saúde e do juiz-prefeito e de Délia Razuk, quando ainda era presidente da Câmara de Vereadores. Délia ainda deve definir o profissional que vai assumir a Secretaria de Administração.

O atual secretário, Eduardo Custódio, pôs o cargo à disposição semana passada. De acordo com a assessoria de comunicação da Prefeitura, os nomes dos secretários que vão assumir o restante das pastas, além do chefe de gabinete, serão anunciados ainda esta semana.

Diante do grande número de denuncias que surgiram na Secretaria de Educação, Délia Razuk solicitou ao secretário da pasta, Idenor Machado, que permaneça no cargo até o final do mês.

Relatório

Idenor Machado (DEM), que deseja assumir a vaga de suplente na Câmara de Vereadores, substituindo Paulo Henrique Bambu (DEM), que hoje é ocupada por Cido Medeiros (DEM), também atendeu ao pedido da prefeita interina.

Ele deu inicio a uma auditoria na Secretária de Educação, que resultou num relatório de quase mil páginas apontando indícios de diversas irregularidades praticadas durante o mandato do prefeito afastado Ari Artuzi (sem partido) e economizou mais de R$ 1 milhão com o corte no quadro de pessoal.
O relatório foi concluído na semana passada e entregue ao ex-prefeito interino, o juiz Eduardo Machado Rocha.

A cópia do documento deve ser encaminhada ao Ministério Público Estadual (MPE) para que os indícios de irregularidades sejam comprovados. As provas devem fazer parte do processo de improbidade administrativa que o MPE irá mover contra o prefeito afastado.

Transparência

Desde a última sexta-feira (08/10) quando tomou posse como prefeita, Délia afirmou que dará destaque à transparência de ações durante sua administração. “Farei um mapeamento em relação a todos os setores. A partir daí, traçaremos uma nova política administrativa para reestruturamos a prefeitura e fazer com que todos os setores funcionem de maneira efetiva e eficaz", disse a prefeita.

Ela comentou que os suplentes já assumiram seus cargos e estão empenhados em trabalhar no sentido de fortalecer o Legislativo. “Este é o momento de unirmos forças e atuarmos com harmonia para que Dourados se reposicione em Mato Grosso do Sul, como cidade próspera e de expansão constante,” concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.