PRB lança pré-candidatura de Russomano em São Paulo

Presidente do partido afirma que PRB terá a cabeça de chapa "com ou sem aliança" na corrida pela Prefeitura de São Paulo

AE |

selo

Na convenção estadual do PRB que o lançou, neste sábado, pré-candidato à Prefeitura de São Paulo, o ex-deputado Celso Russomanno condicionou qualquer negociação sobre a candidatura própria aos resultados das pesquisas de intenção de voto. Questionado se estaria disposto a ocupar a vice em uma eventual chapa liderada por Gabriel Chalita (PMDB), Russomanno admitiu a possibilidade, mas afirmou que sua prioridade ainda é ser candidato a prefeito. "Se ele (Chalita) estiver melhor que eu nas pesquisas, pode até ser. Mas primeiro ele tem de estar melhor que eu nas pesquisas", disse, indicando confiança no seu desempenho eleitoral.

Agência Estado
Celso Russomano (ex-PP), em debate em setembro de 2010

No último levantamento do Datafolha, Russomanno lidera a maioria dos cenários, enquanto Chalita amealha, no máximo, 6% dos eleitores. Embora ainda haja expectativas de que o PRB possa abrir mão da candidatura própria em favor do apoio a nomes do PSDB, PT, PSD ou PMDB, tanto o partido quanto Russomanno vinham negando esta possibilidade. Apesar das declarações do ex-deputado, a convenção foi marcada pela reiteração da tese da candidatura própria. "Só existe uma chance de o Celso não ser candidato: se ele não quiser", afirmou o presidente do PRB, Marcos Pereira, acrescentando que o partido terá a cabeça de chapa "com ou sem aliança". O próprio Russomanno discursou como candidato. "Esta será uma campanha árdua", disse.

Em uma aparente tentativa de atrair um público tradicionalmente com pouco interesse em política - o PRB é o partido ligado à Igreja Universal do Reino de Deus -, foi exibido no evento um vídeo em que Russomanno é definido como "jornalista, pai, marido, brasileiro e político, um bom político". O clipe descreve, ainda, o trabalho do ex-deputado na defesa do consumidor como "uma espécie de xerife do cidadão" e afirma que, "desde a infância", Russomanno sonhava em ser um "super herói" do povo. A expressão "bom político" foi repetida por seis vezes.

Prestigiaram a convenção o governador paulista, Geraldo Alckmin, e o prefeito da capital, Gilberto Kassab. Kassab repetiu que teria "muita honra" em passar a cadeira a Russomanno, se ele for eleito. Nenhum líder petista foi ao evento.

    Leia tudo sobre: eleições 2012Celso RussomanoPRBPPRussomanoChalita

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG