PP gaúcho anuncia apoio a José Serra

É o primeiro diretório do partido a formalizar aliança com o candidato do PSDB que tenta ter Dornelles como vice de Serra

Adriano Ceolin, iG Brasília |

O PP do Rio Grande do Sul fechou nesta quarta-feira apoio à candidatura de José Serra (PSDB) à Presidência da República. Trata-se do maior e mais forte diretório do partido e, exatamente, o primeiro oficializar a aliança com o candidato tucano

O acordo para fazer do senador Francisco Dornelles (PP-RJ) o candidato a vice-presidente na chapa de Serra. Os outros diretórios ainda estão sendo ouvidos, mas a tendência mais forte que o partido fique neutro, pois há grupos que defendem o apoio à candidata Dilma Rousseff (PT).

A reunião que selou a aliança ocorreu no gabinete de Dornelles e contou com a presença do presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE). O encontro teve a participação dos presidentes regionais dos dois partidos: Pedro Bertolucci (PP) e Claudio Diaz (PSDB), que é deputado federal.

“Independentemente da posição no Estado, o PP vai apoiar Serra”, afirmou Bertolucci. No Rio Grande do Sul, o PP ainda acertam os detalhes finais para apoiar a reeleição da governadora Yeda Crusius (PSDB). “Está fechado. O PSDB e o PP vão estar juntos no Rio Grande do Sul”, completou Diaz.

O principal empecilho é a coligação para a chapa proporcional, dos candidatos a deputado federal. Isso porque os tucanos temem a concorrência dos pepistas. De acordo com a legislação eleitoral, quando dois partidos disputam de forma conjunta somente são eleitos os deputados que atingem o maior número de votos da coligação.

Os tucanos temem ver sua bancada reduzida. Na chapa de deputados estaduais, não houve acordo. Com isso PP e o PSDB disputarão a eleição em coligações diferentes. Os pepistas, porém, deverão indicar do deputado federal Vilson Covatti como candidato a vice na chapa de Yeda. “Vamos anunciar isso no Rio Grande”, disse Covatti.

No Rio Grande do Sul, o PP é o partido com maior número de prefeituras no Estado. Comanda 149 municípios. Em segundo lugar está o PMDB, com 140. Além disso, o PP tem 119 vice-prefeitos e 1177 vereadores. Na Câmara dos Deputados em Brasília, são cinco parlamentares e, na Assembleia Legislativa gaúcha, nove.

Por conta de seu tamanho, o PP gaúcho tem grande poder decisório na Executiva Nacional, instância que definirá o apoio a Serra. Desde que foi cogitada a hipótese de Dornelles ser o candidato a vice, aumentou a chance de o partido fechar com o tucano.

Até o começo do ano, havia uma tendência do partido apoiar Dilma Rousseff (PT). Principalmente porque o PP integra a base governista e, desde 2005, comanda o Ministério das Cidades. Por isso o atual ministro Márcio Fortes é um defensor no partido do nome de Dilma.

    Leia tudo sobre: PPSerraDornelles

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG