Após a queda do ministro do Esporte, policial militar João Dias fala no Congresso sobre fraudes no programa Segundo Tempo

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle ouve hoje, a partir das 14h30, o policial militar João Dias Ferreira sobre as denúncias de fraudes no programa Segundo Tempo, do Ministério do Esporte. A repercussão das denúncias feitas pelo policial culminaram na queda do ministro Orlando Silva na manhã desta quarta-feira.

Policial militar foi convidado pelo líder do DEM, deputado ACM Neto
AE
Policial militar foi convidado pelo líder do DEM, deputado ACM Neto

O convite ao policial foi proposto pelo líder do DEM, deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (BA). Deverá ser ouvido ainda o motorista Célio Soares Pereira, que também fez acusações contra o ministro.

Ontem, Orlando Silva esteve na Câmara para participar de audiência pública sobre a realização da Copa do Mundo de 2014 e sofreu fortes ataques de deputados da oposição, que cobravam a saída dele do cargo. O ministro se recusou a responder as críticas durante a audiência e falou sobre as denúncias após o debate. Ele garantiu que não sairá do cargo e declarou que, até agora, as acusações não trouxeram provas contra ele ou sua conduta no cargo.

As denúncias contra o ministro foram publicadas na revista Veja . Na reportagem, o policial João Dias – ex-militante do PCdoB, partido ao qual o ministro é filiado – acusa Orlando Silva de estar envolvido em um esquema de irregularidades que, em oito anos, teria desviado mais de R$ 40 milhões do programa Segundo Tempo. Ele também relata que o ministro teria recebido um pacote de dinheiro desviado do programa.

(Com informações da Agência Câmara)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.