Polícia prende mais 2 suspeitos pela morte de prefeito de Jandira

No total, quatro pessoas foram detidas; um dos suspeitos presos pela manhã já foi reconhecido em uma foto por testemunha

Rodrigo Rodrigues, iG São Paulo |

Mais dois suspeitos de envolvimento na morte do prefeito de Jandira, Walderi Braz Paschoalin (PSDB), foram presos na tarde desta sexta-feira (10), segundo o delegado Eymard Berto Ferreira Júnior, titular do 1° DP da cidade, na Grande São Paulo. Com a prisão dos dois suspeitos, agora somam quatro o total de pessoas detidas pela polícia.

Segundo Ferreira Júnior, os quatro suspeitos estão detidos para averiguação e, por isso, terão suas identidades preservadas até que o inquérito sobre o crime avance. O delegado de Jandira confirmou, porém, que um dos suspeitos presos pela manhã já foi reconhecido em uma fotografia por uma das testemunhas ouvidas pela polícia. O suspeito também passou por exame residuográfico e foram encontrados vestígios de pólvora no corpo dele. “Ainda é cedo para fazer qualquer afirmação. Mas os dois detidos nesta tarde foram indicados pelos dois suspeitos presos pela manhã”, disse Ferreira Júnior.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública, a investigação do caso ficará sob responsabilidade do delegado Zacarias Katcer Padros, chefe do SHPP (Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa) de Carapicuíba.

O prefeito de Jandira foi assassinado na chegada a Rádio Astral FM no início da manhã desta sexta-feira. Ele foi alvejado com vários disparos de fuzil e pistola 9 milímetros, segundo a PM. Paschoalin chegou a ser socorrido no hospital municipal da cidade, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O som dos tiros que atingiram o carro em que estavam o prefeito e o seu motorista foram captados pelos microfones da rádio, que transmitia no momento do crime uma reportagem falando sobre o próprio prefeito. ( Ouça o áudio ).

O motorista Wellington Martins, que estava com Paschoalin no momento do crime, também teve graves ferimentos e está internado nem situação gravíssima na UTI do Hospital das Clínicas de São Paulo, segundo a Polícia Militar.

No final da manhã, a PM encontrou um carro modelo Focus, cor prata, que teria sido usado no crime. O carro estava com marcas de vários disparos e encharcado de gasolina. A polícia suspeita que os bandidos tentaram explodir o carro e não deixar marcas no veículo, que consta como roubado no cadastro da polícia. Os dois primeiros suspeitos foram presos nas proximidades onde o carro foi encontrado.

Investigação

Segundo o delegado Marcelo Prado, da Seccional de Carapicuíba, que participou da primeira etapa de investigação, não há sinais na cena do crime de que o prefeito tenha sido vítima de tentativa de roubo de carro. A polícia trabalha com a hipótese de execução ou crime político. Uma adolescente de 17 anos teria presenciado o crime, segundo a polícia. Ela foi levada pela polícia para uma delegacia da cidade para prestar depoimento e teria reconhecido por foto um dos suspeitos detidos.

Walderi Braz Paschoalin, de 62 anos, foi eleito em 2008 com 42% dos votos válidos. Apesar de ter o mandato contestado na Justiça, recebeu autorização da Justiça eleitoral para assumir o cargo mesmo tendo as contas do governo anterior rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Paschoalin começou a carreira política aos 28 anos, quando foi eleito vereador. Segundo informações disponíveis no site da cidade, a primeira vez que ele concorreu ao cargo de prefeito foi em 1982, ficando em terceiro lugar nas eleições. Paschoalin era casado e tinha três filhos e quatro netos.

O Ministério Público de São Paulo informou nesta sexta-feira que vai acompanhar a investigação sobre o crime contra o prefeito de Jandira. Dois promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) acompanharão junto com a Polícia Civil o andamento das investigações sobre o assassinato, assim como fizeram no caso de Celso Daniel (PT), prefeito de Santo André assassinado em 2002. O prefeito tem pelo menos seis inquéritos abertos por irregularidades na administração municipal no MP. Um desses processos diz respeito a desvios no Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação).

Velório

A Prefeitura de Jandira informou que o velório do corpo do prefeito será realizado no ginásio central da cidade a partir das 18h desta sexta-feira (10). A cidade decretou cinco dias de luto oficial pela morte do prefeito e todos os órgãos públicos municipais foram fechados no início da tarde em respeito à memória do prefeito, inclusive as escolas e hospitais, que passaram a operar em sistema de plantão.

O governador de São Paulo, Alberto Goldman, confirmou presença no velório. O governador eleito, Geraldo Alckmin, que assume em primeiro de janeiro, divulgou nota no final da tarde desta sexta-feira e se disse muito triste com o assassinato de Paschoalin.

“Foi com profunda tristeza que recebemos a notícia da morte do nosso querido prefeito Braz Paschoalin. Tive a oportunidade de acompanhar sua dedicação como homem público e sua enorme disposição para trabalhar pelo povo de Jandira. Transmito nossos sentimentos e nossas orações a sua família, e nossa confiança no trabalho da polícia para esclarecer esse crime bárbaro”, disse a nota de Alckmin.

    Leia tudo sobre: prefeito jandiraprisão suspeitos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG