PMDB não quer vaga na articulação política, diz Temer

Vice-presidente negou que haja qualquer movimentação do partido para suprir a vaga. Já Sarney, considera a crise 'página virada'

AE |

selo

AE
O vice-presidente Michel Temer, a presidenta Dilma Rousseff e o presidente do Senado José Sarney em cerimônia em Brasília
O vice-presidente da República e presidente licenciado do PMDB, Michel Temer , disse hoje que seu partido não tem interesse na vaga de articulação política, com a provável saída de Luiz Sérgio da Secretaria de Relações Institucionais. "O PMDB não quer articulação política. Isso é do PT", disse Temer, ao sair da cerimônia de lançamento do Plano Estratégico de Fronteiras, no Palácio do Planalto.

Fontes do governo afirmam que, em vez da articulação política, o PMDB quer assento no núcleo próximo do governo, na tomada de decisões.

Página virada

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), considerou "página virada" a crise enfrentada pelo governo da presidenta Dilma Rousseff por conta das suspeitas sobre o crescimento do patrimônio, de mais de R$ 20 milhões em quatro anos, do ex-ministro-chefe da Casa Civil Antonio Palocci.

Sarney chamou a reação dos parlamentares da oposição de "guerra política", apesar de ser estimulada, em grande parte, por deputados e senadores da base aliada do Planalto, contrários à ideia inicialmente aventada de se solidarizarem com Palocci.

    Leia tudo sobre: michel temerpmdbjosé sarney

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG