PMDB e PSDB têm campanhas estaduais mais caras até agora

Dados preliminares do TSE ainda não incluem os Estados com segundo turno, onde prazo de prestação de contas ainda não acabou

Piero Locatelli, iG São Paulo, e Severino Motta, iG Brasília |

PMDB e o PSDB são os dois partidos com as campanhas mais caras aos governos estudais. Os candidatos peemedebistas custaram, em média, R$14,2 milhões cada, segundo os dados já divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Já os tucanos gastaram em média R$14,05 milhões. Em seguida aparecem os candidatos de PSB (R$8,9 milhões), PT (R$6,8 milhões) e PDT (R$3,1milhões).

As declarações detalhadas de gastos foram entregues pelos candidatos e divulgadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na última semana. Os dados incluem somente os candidatos ao governo que venceram no primeiro turno. Nos Estados em que houve uma segunda etapa eleitoral a prestação de contas deve ser entregue até o dia 30 deste mês.

AE
Anastasia fez mais cara campanha ao governo
Dois tucanos lideram o ranking das campanhas mais caras. Antônio Anastasia, eleito governador de Minas Gerais, gastou R$ 38 milhões. Geraldo Alckmin, vencedor em São Paulo, teve despesas de R$ 34,2 milhões.

Entre os candidatos eleitos, aquele menos declarou gastos como candidato foi o petista Tião Viana, do Acre, que apresentou custos de R$ 71,5 mil para conseguir 170 mil votos – o equivalente a R$ 0,42 por voto. Seu comitê de campanha, contudo, gastou R$ 4,2 milhões, tendo a maior parte aplicada em sua campanha.

A divisão da prestação de contas, apresentando balanços dos candidatos e comitês é uma prática comum e legal, mas impede que o eleitor tenha a dimensão exata dos gastos e da arrecadação de seus candidatos.

Mais barato
Entre os partidos com representação no Congresso, o PSOL é aquele em que o dinheiro gasto teve mais retorno. Para cada voto obtido, o partido teve que gastar R$ 0,81. Foram R$ 634 mil gastos para obter 776.601 mil votos. O PCB teve o voto mais barato entre todos os 27 partidos que participaram da última eleição. Os comunistas gastaram R$ 0,54 para cada um dos 44,6 mil votos que receberam.

O custo dos outros grandes partidos do país chega a ser dez vezes maior. O PMDB e o PSB, por exemplo, gastaram R$ 9,44 por voto. O nanico PSL teve o voto mais caro do país – R$ 15 para obter 3.106 votos. A média do custo do voto tucano foi R$5,85 e do petista R$3,90.

Entre os candidatos, aquele que mais gastou proporcionalmente foi derrotado nas urnas. Alfredo Nascimento (PR), candidato em Amazonas, gastou R$ 29,37 por voto recebido. Silval Barbosa (PMDB), eleito no Mato Grosso, vem em seguida, com R$ 28,00. Colaborou Manuela Andreoni, iG Minas Gerais

    Leia tudo sobre: eleiçãocampanhacustos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG