PGR diz que prisão temporária é imprescindível em caso do Amapá

Procuradoria informou que acompanha a Operação Mãos Limpas, que prendeu o governador do Amapá e mais 17 pessoas, desde abril

Agência Brasil |

A Procuradoria-Geral da República (PGR) informou nesta sexta-feira, por meio de nota, que acompanha, desde abril, a operação que culminou na prisão de 18 pessoas do Amapá, entre elas o governador Pedro Paulo Dias (PP). As informações foram enviadas à PGR pela Justiça Federal no Amapá porque algumas pessoas envolvidas no esquema têm foro privilegiado.

A PGR afirma que o Ministério Público Federal posicionou-se favoravelmente “à prisão temporária de 18 pessoas, condução coercitiva de mais de 80 pessoas e busca e apreensão de documentos”. A entidade diz também que a prisão temporária “é imprescindível para evitar possível influência ou coerção de testemunhas e destruição de provas”.

    Leia tudo sobre: PGRoperação mãos limpasamapápf

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG