PF vai investigar acesso de hacker ao email de Dilma

Correio eletrônico pessoal da presidenta foi violado em ataque eletrônico, de acordo com jornal

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

AE
Invasão do email de Dilma despertou reações no governo e no PT
A Polícia Federal instaurou inquérito para apurar a suposta invasão do correio eletrônico pessoal da presidenta Dilma Rousseff noticiada nesta quinta-feira pela Folha de S. Paulo . Segundo o jornal, um homem identificado apenas como “Douglas” teria invadido a caixa de correio de Dilma, copiado cerca de 600 mensagens e tentado vender o conteúdo a partidos da oposição e ao próprio jornal. A PF não forneceu mais informações sobre o inquérito.

A reportagem desencadeou uma série de reações no PT e no governo. Assessores do partido passaram o dia tentando explicar a jornalistas que a suposta violação não ocorreu no ambiente do site da legenda.

Em abril do ano passado, quando a campanha presidencial estava a pleno vapor, a página do PT foi alvo de um ataque e ficou fora do ar por 24 horas. Segundo o PT, o ataque não teve motivação política e tinha características de crime comum.

No mesmo dia o partido contratou uma empresa especializada em segurança na internet. Desde então o PT não registrou novos ataques ou invasões. O caso foi relatado à PF mas não teve desdobramentos.

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, que segundo a Folha de S. Paulo também teve e-mails copiados e colocados à venda, publicou um artigo em seu site, no qual relaciona tanto as notícias sobre a violação do e-mail de Dilma quanto à recente onda de ataques às páginas do governo, à possibilidade de votação do PL 84/99, de autoria do ex-senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG). Apelidado por defensores da liberdade na rede de AI-5 Digital, o projeto de lei criminaliza algumas práticas e cria mecanismos de controle na rede.

    Leia tudo sobre: hackersdilma rousseffataquessegurança nacional

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG