PF indicia seis por suposto desvio de R$ 1,8 mi em Pernambuco

Policiais investigam lavagem de dinheiro no Estado; foram gerentes de banco, empresário, político, servidor e estudante

AE |

selo

A Polícia Federal (PF) ouviu hoje seis pessoas suspeitas de envolvimento em um esquema de lavagem e desvio de dinheiro em Pernambuco. Elas foram detidas durante a operação Mar de Lama e já foram indiciadas, mas responderão em liberdade. Dentre os detidos estão dois gerentes de banco, um empresário, um político, um funcionário público e um estudante.

Segundo a PF, elas teriam feito lavagem de dinheiro envolvendo empresas de alimentação fornecedoras de merenda escolar para várias prefeituras do Estado, além de desviarem valores referentes a salários de funcionários fantasmas. O esquema envolvia a abertura de contas bancárias fraudulentas, tituladas por pessoas inexistentes, para depósito e saque dos valores obtidos em crimes de corrupção e peculato.

Estima-se que cerca de R$ 1,8 milhão tenha sido "lavado" nesse processo durante o ano de 2007. A identificação do grupo foi possível por meio de investigações iniciadas também naquele ano, que apontavam para um largo esquema de corrupção e desvio de verbas públicas envolvendo diversos políticos. As investigações focavam a negociação e o pagamento de propina para garantir apoio aos projetos numa espécie de "mensalão".

Os seis detidos hoje poderão ser indiciados pelos crimes de formação de quadrilha, uso de documentos falsos, administração fraudulenta de instituição financeira, peculato, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro. Nos próximos dias, serão intimados para interrogatório outras cerca de 50 pessoas investigadas pela PF na operação.

    Leia tudo sobre: polícia federalPernambuco

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG