Inquérito, concluído e enviado ao MPE, aponta 60 pessoas por formação de quadrilha, corrupção e direcionamento de licitação

A Polícia Federal indiciou 60 pessoas por formação de quadrilha, corrupção e direcionamento de licitação em Dourados (MS). O inquérito final da Operação Uragano foi concluído anteontem e enviado ao Ministério Público Estadual.

No dia 30, o prefeito, o vice-prefeito, a primeira dama, cinco secretários municipais e 11 dos 12 vereadores de Dourados foram presos durante operação que investigava esquema de corrupção que funcionava na Câmara e na prefeitura.

Além das fraudes em licitações públicas beneficiando construtoras, prestadoras de serviços e fornecedores, segundo a PF, existem casos de anulação de dívidas de pessoas físicas e jurídicas junto à prefeitura. Sobre cada contrato fechado com empresas nas fraudes, o grupo acusado recebia 10% do valor total. Ainda segundo a PF, produtos alimentícios destinados à merenda escolar eram transformados em "sacolões" e distribuídos para famílias de eleitores pobres, já prevendo a reeleição de Artuzi, em 2012.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.