Pela PEC 300, policiais ¿ilham¿ líder do governo na Câmara

Cândido Vaccarezza enfrentou protesto de manifestantes que querem votar piso salarial para policiais e bombeiros militares

Andréia Sadi, iG Brasília |

O líder do governo na Câmara dos Deputados, Cândido Vaccarezza, enfrentou nesta quarta-feira protesto de manifestantes pela PEC 300, que estabelece piso salarial para policiais e bombeiros militares. Ao chegar nesta tarde na Casa, Vaccarezza caminhava para a liderança quando foi “ilhado” pelos policiais. Policiais civis e militares causaram tumulto ao tentar invadir os corredores de acesso ao plenário da Câmara, mas foram impedidos pelos seguranças da Casa.

 Quando passou pelo protesto, o líder reuniu-se no gabinete com cinco representantes dos policiais para chegar a um acordo sobre a proposta na pauta.

Após a reunião, Vaccarezza disse à imprensa que o presidente da Câmara, Michel Temer, quer estar presente na votação da proposta. Temer está em viagem à Europa e sua volta ao Brasil está prevista para o final da semana. Além da PEC 300, ele disse que quer votar o pré-sal na semana que vem.

Do lado de fora, policiais que participaram da reunião disseram que o petista prometeu conversar com os demais líderes para chegar a um acordo.

O texto-base da proposta, aprovado em março, prevê piso salarial de R$ 3,5 mil para praças e de R$ 7 mil para oficiais.

A aprovação do primeiro turno da PEC 300 esbarrou em quatro destaques, que alteram pontos fundamentais da proposta. Um dos impasses é um destaque de autoria do deputado José Genoino (PT-SP), que tira da PEC 300 o valor do piso para os profissionais. A proposta ainda passará por outro turno de votação na Câmara, antes de seguir para o Senado.

    Leia tudo sobre: Cândido VaccarezzaPEC 300

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG