Pedro Abramovay é cotado para o lugar de Tuma Jr.

Nome surge a 2 semanas do fim de férias forçadas do secretário de Justiça, acusado de ligações com chefe da máfia chinesa em SP

AE |

A duas semanas do fim de suas férias forçadas, o secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior, está cada vez mais distante de sua cadeira no Ministério da Justiça. Na avaliação de auxiliares do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a abertura de inquérito pela Polícia Federal para investigar o secretário o deixou em situação delicada.

No cenário pouco favorável a Tuma, alguns nomes começam a ser aventados pelo governo para ocupar a Secretaria. Um dos candidatos é Pedro Abramovay, que deixou a Secretaria de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça neste ano para concorrer ao posto de diretor executivo do Escritório da ONU para o Combate ao Crime e Drogas.

Apesar da recomendação de que se afastasse do posto, enquanto durasse o inquérito para apurar as acusações sobre sua possível ligação com a máfia chinesa em São Paulo, Tuma Júnior preferiu pedir férias de 30 dias, a contar do dia 13 de maio. "Politicamente é um problema", comentou um dos auxiliares do presidente Lula, ressalvando, porém, que ainda não há acusações definitivas contra o secretário.

Interceptações

No início deste mês, o jornal O Estado de S. Paulo revelou que investigações da Polícia Federal acabaram por mostrar ligações de Tuma Júnior com Li Kwok Kwen, o Paulo Li, apontado pela Polícia Federal como um dos chefes da máfia chinesa em São Paulo. Gravações telefônicas mostraram que, de seu posto no Ministério da Justiça, ele auxiliava Paulo Li a solucionar processos de regularização da permanência de chineses em situação ilegal no País.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG