PDT usa denúncia do iG em pedido de investigação contra ministro

Em petição protocolada hoje na Procuradoria-Geral, parlamentares pedem apuração de denúncia publicada no iG e outros veículos

iG São Paulo |

Os deputados Miro Teixeira (PDT-RJ) e José Antônio Reguffe (PDT-DF) e o senador Pedro Taques (PDT-MT) protocolaram na tarde desta terça-feira na Procuradoria-Geral da República um pedido de investigação sobre as denúncias de corrupção no Ministério do Trabalho, comandado por Carlos Lupi (PDT-RJ). Para embasar a solicitação, os parlamentares utilizaram trechos de reportagens publicadas no iG , na revista Veja e no jornal O Globo .

Poder Online: "O PDT não tem histórico de corrupção", diz Miro

Duas reportagens do iG foram anexadas em forma de links ao pedido encaminhado à Procuradoria-Geral: a reportagem " Ministério do Trabalho entra em escândalo do Esporte ", publicada no portal em 26 de outubro, e a reportagem " Coordenador de contratos do Trabalho emprega mulher em ONG do PDT ", publicada no dia 4 de novembro.

AE
Crise que cerca o ministro foi discutida ontem pela coordenação política do governo

No texto da petição, os parlamentares citam a gravação obtida pela reportagem do portal em que uma testemunha do inquérito que investiga fraudes no Ministério do Esporte - escândalo que culminou na queda do então ministro Orlando Silva (PC do B-SP) - afirma que houve fraude na assinatura de convênios no Ministério do Trabalho.

"No Portal iG , em 26 de outubro passado, sob o título, “ Ministério do Trabalho entra no escândalo do Esporte .” Uma das testemunhas do inquérito que investiga fraudes no Programa Segundo Tempo do Ministério do Esporte, Geraldo Nascimento, envolveu o nome de outra ONG no desvio de recursos públicos. Numa gravação a qual o portal iG teve acesso ele diz que a Confederação Nacional dos Evangélicos (Conae), que assinou um convênio com o Ministério do Trabalho, também participou de esquema similar. O portal também denunciou que o responsável por aprovar a prestação de contas de contas e convênios do Ministério do Trabalho, o servidor Manoel Eugênio Guimarães de Oliveira, é casado com uma ex-funcionária da Conae. A ONG assinou convênio com o Trabalho em dezembro de 2007 no valor R$ 3,3 milhões", diz o texto da petição.

Leia também: PSDB vai investigar novas denúncias no Ministério do Trabalho

Para o deputado Miro Teixeira, as denúncias publicadas pelo iG , pela Veja e pelo O Globo , somadas a investigações já instauradas sobre o mesmo assunto nos Estados, resultarão em uma investigação policial. "Tenho certeza que vai desaguar em inquérito policial. Já têm Estados investigando esse mesmo assunto", afirmou. Segundo ele, o ministro foi informado sobre a iniciativa de parlamentares de seu próprio partido em pedir investigação à Procuradoria-Geral da República no último sábado.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG