PC do B avalia proposta de Kassab para integrar pasta

Prefeito convidou a sigla, da base aliada do governo federal, a assumir a futura Secretaria Municipal da Copa de 2014

AE |

selo

Cinquenta e um membros do diretório municipal do PC do B paulista se reúnem amanhã para discutir se o partido aceita a proposta do prefeito Gilberto Kassab (DEM) para assumir a futura Secretaria Municipal da Copa de 2014, pasta que será criada para coordenar o evento na capital.

A sigla avalia que a oferta do prefeito, que estaria preparando sua ida para o PMDB, indica uma movimentação indiscutível de Kassab em direção aos partidos de esquerda aliados da presidente Dilma Rousseff.

Como aliar-se ao DEM é uma decisão polêmica, a definição deve levar em conta a posição do presidente nacional do partido, Renato Rabelo.

Embora vejam com simpatia a sinalização de mudança do prefeito e o convite - já que o assunto vem sendo conduzido pelo ministro do Esporte, Orlando Silva -, os comunistas querem discutir as perdas e os ganhos dessa adesão.

 "O Kassab está sentindo que não tem espaço no campo em que atuou na eleição passada. É o Kassab que está se deslocando, não a base do governo Dilma", ressaltou Fernando Henrique Borgonovi, da União da Juventude Socialista e membro do diretório municipal. "Vemos a movimentação do Kassab com satisfação, mas isso não quer dizer que esse processo de incorporação do PC do B seja automático", ponderou.

Nos bastidores do diretório nacional, a questão é vista com cautela. "O partido não está unido em relação a isso", afirmou um dirigente. Alguns líderes questionam a estratégia de Kassab, que estaria tentando criar uma terceira força política em São Paulo (além de PT e PSDB) para disputar a sucessão do tucano Geraldo Alckmin em 2014.

Na primeira reunião do diretório no ano, o dirigente Wander Geraldo da Silva prevê um debate acalorado, mas descarta desde já que a eleição de 2014 entre em pauta. "Não faremos um debate sobre 2014", avisou. Silva diz que o fato de Kassab ainda pertencer ao DEM não impedirá o PC do B de integrar a gestão municipal, uma vez que a saída do prefeito do DEM em direção ao PMDB é dada como certa.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG