Partidos adversários preparam 'arsenal' contra Serra

PRB e PC do B explorarão declarações recentes de tucano referentes à promessa feita em 2004 de ficar na prefeitura por quatro anos

AE |

selo

Partidos adversários do PSDB em São Paulo se preparam para usar um "arsenal" contra o ex-governador José Serra na eleição pela Prefeitura de São Paulo. O objetivo é aproveitar a declaração recente do pré-candidato sobre seu compromisso de ficar na Prefeitura, caso eleito, e explorar o que chamam de contradições do tucano sobre o assunto.

Leia também: Serra diz que compromisso assinado em 2004 era apenas 'papelzinho'

Futura Press
Adversários pretendem usar declaração de Serra, que disse que compromisso assinado em 2004 era um 'papelzinho'

Em reunião nesta quarta com o vice-presidente Michel Temer (PMDB), no Palácio do Jaburu, representante do PRB, que lançará como candidato a prefeito Celso Russomanno, e do PCdoB, que tem como pré-candidato o vereador Netinho de Paula, falaram sobre o uso de imagens e reportagens que mostrariam que Serra não cumpriu promessa de ficar na Prefeitura por quatro anos, feita na eleição de 2004.

O presidente nacional do PRB, Marcos Pereira, citou como exemplo do "arsenal" a ser usado o debate mediado por Boris Casoy, na Rede Record, em 2004, no qual Serra se comprometia a cumprir o mandato.

Na ocasião, o tucano disse: "Eu assumo esse compromisso como já assumi, embora os candidatos adversários gostem de dizer que eu vou sair para me candidatar a presidente da República ou a governador e etc. Não. Meu propósito, meu compromisso e minha determinação é governar São Paulo por quatro anos".

A imagem é motivo de preocupação no PSDB. No partido, teme-se o impacto da fala de Serra se comprometendo a cumprir o mandato, se usado no horário eleitoral gratuito na TV. Para os tucanos, a declaração sobre o "papelzinho" , aliada às imagens do debate e ao episódio da "bolinha de papel" , quando uma bobina de adesivo acertou sua cabeça na campanha de 2010, trarão para o centro do debate a discussão sobre a palavra do candidato.

Na reunião, Temer, Pereira, o presidente do PC do B, Renato Rabelo, e o ex-ministro Orlando Silva falaram da manutenção de suas pré-candidaturas até maio. O PT teme que Netinho tire votos do pré-candidato Fernando Haddad, mas vê com bons olhos a candidatura do PMDB, com Gabriel Chalita, e de Russomanno. Ambos terão o PSDB como alvo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: josé serraeleições2012eleiçõesspsão pauloprefeitura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG