Para petistas, choro de Dilma reforça seus vínculos com o partido

Para o senador Mercadante (PT-SP), choro da presidenta eleita mostra que ela 'vai governar com o coração'

Ricardo Galhardo e Andréia Sadi, iG Brasília |

O choro da presidenta eleita Dilma Rousseff na reunião do Diretório Nacional do PT, hoje, teve forte impacto no partido. Para dirigentes que participam da reunião, as lágrimas de Dilma ajudaram a reforçar os vínculos dela com o PT justamente no momento em que setores do partido começavam a reclamar da falta de participação na montagem do futuro governo.

Agência Estado
Dilma chora durante discurso em reunião do Diretório Nacional do PT
“É muito bom a presidenta criar um laço emotivo com o PT”, disse Joaquim Soriano, integrante do diretório nacional e líder da Democracia Socialista (DS), uma das principais correntes da esquerda petista.

Para o senador Aloizio Mercadante (PT-SP), o choro de Dilma aproxima a imagem da presidenta eleita, tida como durona, à do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Lula falou que uma das principais diferenças entre ele e os outros que passaram pela Presidência é que ele governa com o coração. Hoje Dilma demonstrou que também vai governar com o coração”, disse Mercadante. “E o coração dela bate do lado esquerdo do peito”, completou.

De acordo com o deputado José Genoino (PT-SP), as lágrimas da presidenta significaram a gratidão de Dilma para com a militância petista, que saiu às ruas em defesa da então candidata diante da ameaça de vitória tucana no segundo turno.

“Ela nunca tinha feito uma campanha e para ela isso foi muito forte. Quem é acostumado a fazer campanha no PT sabe que nos piores momentos, quando você chega na base, sempre tem alguém que estende a mão”, disse Genoino. “Não é a palavra, é o ato. E o PT sabe entender muito bem o ato”, completou.

Para o secretário-geral do PT, José Eduardo Dutra, um dos “três porquinhos” de Dilma, a demonstração de emotividade da presidenta não é novidade. Ele viu cenas semelhantes várias vezes durante a campanha.

“Geralmente ela fazia estes comentários quando chegava no avião. Hoje ela fez uma fala de estadista, mas geralmente os estadistas são frios e ela falou com emoção”, disse ele.

Integrante do diretório nacional, Francisco Campos, um dos dirigentes que melhor conhecem os meandros do partido, considera que a emoção demonstrada por Dilma hoje ajuda a atenuar a imagem de durona criada entre a militância petista.

“O choro simbolizou toda a emoção dela diante do aconchego proporcionado pela militância, principalmente no segundo turno. Em vez daquela imagem de administradora dura, veio à tona o sentimento de mulher”, disse Campos.

    Leia tudo sobre: dilmachoromilitânciadutramercadante

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG