Para Cezar Peluso, morte de Corrêa é 'extremamente dolorosa'

Corrêa foi escolhido para ministro da Justiça no governo Itamar Franco, cargo que ocupou entre 1992 e 1994

Agência Brasil |

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cezar Peluso, disse hoje (18) que a morte do ex-presidente da Corte Maurício Corrêa é extremamente dolorosa. “Ele era presidente do Supremo quando fui nomeado ministro do STF. Foi ele que me recebeu. Tive um relacionamento muito próximo e agradável com ele, nos tornamos amigos.”

Agência Brasil
O ex-presidente do STF Maurício Corrêa
Peluso destacou o trabalho de Corrêa. “Teve uma atuação expressiva como constituinte, como político, como advogado. Vai deixar muita saudade. Estamos todos de luto.”

Corrêa era mineiro de São João do Manhuaçu, e começou sua carreira como advogado e procurador. Foi presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Brasília, de 1979 a 1986, ano em que se elegeu senador pelo Distrito Federal. Corrêa participou ativamente da Assembleia Constituinte e das apurações de corrupção no governo Fernando Collor.

Quando exercia o mandato de senador, Corrêa foi escolhido para ministro da Justiça no governo Itamar Franco, cargo que ocupou entre 1992 e 1994. No mesmo ano, foi nomeado ministro do STF, respondendo pela presidência da Corte entre 2003 e 2004. Deixou o cargo antes de terminar o mandato quando completou 70 anos, e foi aposentado compulsoriamente.

Henrique Hargreaves, chefe da Casa Civil no governo Itamar Franco, destacou a amizade que tinha com Corrêa e com o ex-presidente da República. “Nesta hora devem estar ele e Itamar trocando ideias. A ausência vai deixar lacunas.”

    Leia tudo sobre: Maurício CorreaSTF

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG