Em comemorações de 1º de maio, governador de São Paulo diz que fusão é discutida desde 2010

selo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin , considerou neste domingo (30) de "difícil" concretização a fusão do PSDB com outro partido, como o DEM. "Nesse momento acho difícil, mas é preciso manter o diálogo; estar junto com aqueles de mesmo pensamento".

Alckmin durante a festa da Força Sindical em comemoração ao Dia do Trabalho
AE
Alckmin durante a festa da Força Sindical em comemoração ao Dia do Trabalho

Na semana passada, os tucanos trouxeram à tona o debate sobre fusão, mas o assunto vem sendo discutido desde 2010, quando o partido perdeu espaço no Congresso Nacional.

Em relação a uma possível crise na oposição, Alckmin disse que "o PSDB sairá mais forte desses momentos". Na semana passada, o secretário municipal de Esportes, Lazer e Recreação de São Paulo, Walter Feldman, um dos fundadores do PSDB, anunciou que deixará o partido. Quanto às eleições municipais de 2012, o governador afirmou que "o PSDB vai apresentar à sociedade candidatos em condições de servir aos municípios paulistas".

Alckmin minimizou as vaias recebidas durante festividade do 1º de Maio, promovida neste domingo pelas centrais sindicais unificadas. "Foi uma coisa localizada, de pouca gente. Mas uma recepção muita carinhosa com o trabalhador de São Paulo".

Ele comentou que o governo de São Paulo está "reduzindo impostos e apoiando empreendedores". "Estamos criando uma agência de fomento no Estado, ampliando as escolas técnicas e, agora em maio, vamos criar o Via Rápida para o emprego", informou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.