Palocci aceita convite para assumir a Casa Civil

Ex-ministro da Fazenda estava preocupado com exposição e chegou a pedir a cogitar a Secretaria Geral da Presidência

Andréia Sadi, iG Brasília |

Homem forte do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva , o ex-ministro Antonio Palocci aceitou assumir a pasta da Casa Civil na gestão de Dilma Rousseff . A decisão foi tomada após pedido de Lula e da própria presidenta eleita. Palocci, que é o principal coordenador da transição, viajou para São Paulo após acertar os últimos detalhes com a petista na Granja do Torto, em Brasília.

Agência Estado
Palocci acompanhou Dilma em todas as etapas e ganhou a confiança da presidenta eleita
O convite para que Palocci assumisse a pasta foi feito na semana passada, em uma reunião entre Dilma e o ex-ministro da Fazenda. De início, ele chegou a manifestar a preocupação em ficar exposto demais e passou a ser cogitada a possibilidade de ele comandar uma versão turbinada da Secretaria Geral da Presidência. No fim da tarde de ontem, entretanto, o nome do ex-ministro da Fazenda voltou a ser apontado como favorito para o posto mais poderoso do governo, conforme apontado pela coluna de Guilherme Barros, no iG .

Palocci acabou aceitando o posto diante da insistência manifestada por Lula. Com o remanejamento, o mais provável é que a secretaria-geral da Presidência fique nas mãos de Gilberto Carvalho, que hoje ocupa o cargo de chefe de gabinete do presidente da República. Com as duas cadeiras que irão compor o centro político do governo ocupadas, o ministro atual do Planejamento, Paulo Bernardo, passa a ser visto como provável opção para assumir as Comunicações.

A escolha marca a volta de Palocci ao governo federal, após mais de quatro anos após o ex-homem forte do governo Lula perder o cargo de ministro da Fazenda. Palocci viu-se envolvido nas denúncias sobre a quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa, que o apontava como um dos participantes de festas em uma mansão em Brasília, onde eram realizadas festas e partilhas de dinheiro.

Desde então, o ex-ministro passou a atuar nos bastidores. Mesmo longe dos holofotes, Palocci continuou sendo um dos principais consultores do governo na área econômica. Depois de ser absolvido das denúncias sobre o caseiro que corriam contra ele no Supremo Tribunal Federal, o ex-ministro voltou à cena político, tendo sido cotado inclusive para disputar o governo de São Paulo pelo PT. Prevaleceu, entretanto, a avaliação de que seria melhor tê-lo como um dos articuladores políticos da campanha de Dilma.

    Leia tudo sobre: Antonio PalocciDilma Rousseffnovo governo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG