Ao encontrar Lula, ministro da Saúde afirma que PT está cada vez mais próximo do partido de Kassab em vários Estados

O provável apoio do prefeito Gilberto Kassab (PSD) a uma eventual candidatura de José Serra (PSDB) à sua sucessão não deve pôr fim às conversas do PT com o PSD. É o que disse o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, que fez nesta sexta-feira uma visita ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva , que concluiu esta manhã o tratamento contra um câncer na laringe, diagnosticado em outubro.

Leia também: Alckmin escala 'tropa de choque' para elevar pressão sobre Serra

"O PT tem estabelecido cada vez mais parcerias com o PSD em vários Estados do País. A nossa relação política com o prefeito Gilberto Kassab não está restrita à cidade de São Paulo. Não é o cenário da capital apenas que vai interferir nessa relação, que é cada vez mais intensa", afirmou Padilha.

O ministro disse não ter conversado a respeito do assunto com Lula, mas reiterou o papel de destaque do ex-presidente nas articulações políticas mesmo durante o tratamento.

Câncer de Lula: eliminação do tumor só será confirmada em 4 semanas

"O ex-presidente Lula nunca parou de trabalhar. Continua no seu papel de líder, não apenas do PT, mas de outros partidos. Está muito animado para participar das articulações políticas e animado com o desempenho da pré-candidatura do Fernando Haddad à Prefeitura de São Paulo", contou.

Lula deve deixar o Hospital Sírio-Libanês ainda hoje. No total, foram seis semanas de sessões diárias do tratamento com radioterapia. Antes, o ex-presidente havia passado por sessões de quimioterapia, concluídas em dezembro.

    Leia tudo sobre: Lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.