Padilha descarta recriação da CPMF para financiar saúde

Ministro da Saúde diz acreditar em um 'espírito comum entre governadores e prefeitos' para criarem uma regra comum e estável

AE |

selo

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, reafirmou hoje que o governo não pretende tomar nenhuma iniciativa para recriar a CPMF, o antigo imposto sobre movimentações financeiras. "Não entro nesse Fla x Flu que virou o tema da CPMF. No governo da presidenta Dilma Rousseff , nunca discutimos a hipótese de reedição da CPMF para financiar a saúde", declarou, após participar de audiência pública na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado.

Padilha acrescentou que sua missão à frente do Ministério é "reforçar e aprimorar os mecanismos de gestão", a fim de ter cada vez mais controle sobre os recursos da saúde e maior capacidade de definição das metas da União, Estados e municípios no setor. "Para que os recursos sejam cada vez mais bem investidos", reforçou.

Sobre a urgência da votação do projeto de regulamentação da Emenda Constitucional 29, que fixa os porcentuais mínimos a serem gastos na saúde por Estados, municípios e União, Padilha disse que não acompanha mais a articulação política no Congresso - função que exerceu antes de assumir a pasta da Saúde, como ministro de Relações Institucionais.

No entanto, ele disse acreditar que existe um "espírito comum entre governadores e prefeitos de vários partidos de aproveitar esse momento para criar uma regra permanente e estável" sobre o que é investimento em saúde. "A cobrança tem de ser de lado a lado, é assim que nós poderemos melhorar o SUS ( Sistema Único de Saúde )", concluiu.

    Leia tudo sobre: padilhacpmfsaúde

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG